Economia

Semana termina com incertezas sobre quando Fed cortará juros e tensões no Oriente Médio

Atualizado 12/04/2024 às 19:05:59

https://www.bomdiamercado.com.br/wp-content/uploads/2023/11/mercado-financeiro-grafico-ibovespa-ny.jpg

Os números de inflação ao consumidor (CPI) nos EUA acima do esperado pelo terceiro mês seguido concentraram as atenções do mercado nesta semana e provocaram uma reviravolta nas estratégias, ao enterrar as chances de o Fed iniciar cortes de juros em junho.

As apostas foram adiadas para setembro, mas boa parte do mercado já acredita que o afrouxamento monetário só virá em dezembro. Ou seja, em vez de três cortes de juros neste ano, haverá apenas um.

O cenário desfavorável para os ativos de risco piorou mais um pouco nesta 6ªF em meio à possibilidade de o Irã atacar Israel nas próximas horas, o que provocou um movimento de ‘fly to safety’ nas bolsas.

O cenário externo acabou se sobrepondo ao noticiário local para definir os rumos do mercado doméstico. Mesmo assim, os investidores locais seguem atentos e incomodados com o quadro de incertezas em torno da Petrobras.

Se não bastasse o impasse sobre os dividendos extraordinários e a ameaça de demissão do presidente da estatal, Jean Paul Prates, dois conselheiros ligados ao governo foram afastados pela Justiça de suas funções no Conselho de Administração.

Agora, o Conselho terá que nomear um presidente interino antes de realizar a reunião que definirá a novela dos dividendos, na próxima 6ªF.

Bom fim de semana! (Téo Takar)

Veja Também