Câmbio

Real se valoriza ante o dólar com alta de commodities provocada por China e Rússia

Atualizado 24/07/2023 às 17:10:37

O real se valorizou ante o dólar hoje, na esteira do avanço dos preços das commodities provocado por China e Rússia.

O primeiro anunciou medidas de estímulo ao investimento privado e o Politburo do Partido Comunista, principal órgão decisório do país, prometeu mais apoio, o que elevou petróleo e minério. O segundo continuou a bombardear depósitos de grãos em portos da Ucrânia e fez disparar os preços do milho e da soja.

Ambos os casos deram força às moedas de emergentes exportadores, como o Brasil, que operaram durante todo o dia na contramão das divisas centrais. Ante seus pares, o dólar sobe por causa de PMIs fracos na zona do euro, em especial na Alemanha.

No mercado doméstico, analistas ainda apontam um movimento de desmonte de posições defensivas diante de uma melhor perspectiva macro, com possível queda de juro em agosto e maior crescimento da economia.

O dólar à vista fechou com queda de 0,99%, a R$ 4,7331, após oscilar entre R$ 4,7237 – menor intraday desde 1º de junho de 2022 – e R$ 4,7834. Às 17h08, o dólar futuro para agosto tinha queda de 1,03%, a R$ 4,738.

Lá fora, o índice DXY subia 0,34%, a 101,515 pontos. O euro caía 0,59%, a US$ 1,1061. E a libra recuava 0,28%, para US$ 1,2818. (Ana Conceição)

Veja Também