Morning Call

PIB testa Fed e Haddad vence briga fiscal

Atualizado 30/08/2023 às 01:51:34

Por Rosa Riscala e Mariana Ciscato*

[30/8/2023]

… A esperança renovada ontem de que o Fed pode ter dado por encerrado o ciclo de aperto monetário já será colocada em xeque hoje pelos dados de emprego de agosto da ADP (9h15) e pela revisão do PIB/2Tri nos EUA (9h30). Amanhã, ainda tem o PCE e, na 6ªF, o payroll. Em Brasília, a Câmara aprovou o requerimento de urgência do PL da desoneração da folha, que será votado hoje, em uma derrota para a Haddad, que, em outra frente, ainda vem sofrendo fogo amigo. A ala política do próprio governo tenta sabotar o compromisso da Fazenda com déficit zero em 2024, mas o ministro conseguiu defender ontem a reputação fiscal junto ao presidente Lula.

… Pouco antes da reunião da tarde desta 3ªF da Junta de Execução Orçamentária (JEO), da qual participaram também a Casa Civil, Planejamento e Gestão, houve rumores de pressões sobre a mudança da meta fiscal.

… Circularam especulações de que, em queda de braço com Haddad, os ministros Rui Costa (Casa Civil), Esther Dweck (Gestão) e Tebet (Planejamento) decidiram apoiar déficit primário de até 0,75% do PIB, ao invés de zero.

… A ideia teria sido levada para a reunião da JEO com Lula, que arbitrou a favor de Haddad. O ministro saiu do encontro dizendo à imprensa que “não tem nenhuma alteração de rota” no Orçamento para o ano que vem.

… Segundo ele, nem mesmo haveria tempo hábil para alterar o projeto, que precisa ser entregue ao Parlamento até amanhã e será encaminhado com “resultado equilibrado” (receitas primárias iguais às despesas primárias).

… Foi importante Tebet ter negado ontem à noite ao Estadão que tenha defendido a mudança da meta de zerar o déficit das contas do governo em 2024. É uma sinalização de que ela continua jogando junto com Haddad.

… Segundo a ministra do Planejamento, sugerir alteração da meta fiscal tendo as receitas necessárias em discussão no Congresso e, ainda, de última hora, contraria a própria lógica de planejamento orçamentário.

… Fonte disse ao jornal não saber de onde tem saído o foco de “intrigas” e garantiu que o time segue alinhado.

… No Valor, a presidente do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), que em outras ocasiões, assim como Rui Costa, já bateu de frente com Haddad, disse que defende a revisão da meta de zerar o déficit no ano que vem.

… “Diante da frustração de receitas, até pela omissão do próprio Congresso, precisamos de recursos.”

… O mercado respondeu bem (abaixo) à vitória de Haddad às pressões políticas para relaxar a meta fiscal.

… Para a jornalista Adriana Fernandes (Estadão), se ceder, o ministro dará um tiro no pé e colocará sua credibilidade à prova junto ao BC, com efeito nas expectativas de inflação e na queda da Selic, que mal começou.

… O Copom não se furtaria a contestar o espaço de corte do juro com a eventual mudança da meta fiscal.

… Embora o mercado possa questionar o objetivo da equipe econômica de zerar o déficit das contas públicas, que é mesmo audacioso, não deixa de ser um grande alívio a Fazenda estar batalhando pelo rigor fiscal.

DESONERAÇÃO DA FOLHA – Atropelando o governo, a Câmara aprovou ontem o requerimento de urgência apresentado ao PL que prorroga a desoneração da folha de salários para 17 setores da economia até 2027.

… A matéria, assim, não passará por comissões (como desejava o governo) e será analisada já hoje em plenário.

… A tramitação rápida contraria a intenção da equipe econômica, que preferia atrelar a desoneração a uma reforma ampla de renda, a ser debatida em 2024, após a aprovação da reforma tributária sobre o consumo.

… A proposta da desoneração, já aprovada no Senado, inclui ainda uma emenda que reduz a contribuição previdenciária das prefeituras, com potencial impacto de R$ 7,2 bilhões a R$ 11 bilhões na Previdência.

… O projeto que veio do Senado prevê redução da contribuição social de 20% para 8% para cidades menores.

… Os deputados, no entanto, querem incluir uma emenda no texto para substituir o critério populacional por um indicador baseado no PIB per capita ou no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de cada município.

… O benefício também seria feito por escalonamento, com a criação de cinco faixas, com alíquotas entre 8% e 18%. Até a noite de ontem, o modelo ainda estava sendo definido e o relatório final será apresentado nesta 4ªF.

… Sobre o benefício às prefeituras, Lira disse que o governo não tem o direito de cobrar da Câmara uma posição contrária à proposta, porque não se posicionou com “incisividade” contra a emenda aprovada no Senado.

REFORMA TRIBUTÁRIA – O debate do tema no Senado com os governadores não avançou e foi esvaziado, diante da ausência dos governadores dos três maiores Estados: Tarcísio (SP), Zema (MG) e Cláudio Castro (RJ).

… Dos 27 governadores, só 15 compareceram. Quatro Estados foram representados por vice-governadores. Raquel Lyra (PSDB), de Pernambuco, pediu reunião fechada dos governadores com o relator em setembro.

PLANO SAFRA – BNDES disponibilizará, nesta 4ªF, R$ 5,1 bilhões de recursos adicionais ao Plano Safra 2023-2024. Os recursos decorrem da decisão do governo federal de antecipar contratações que ocorreriam ao longo deste ano agrícola.

PLANO PLURIANUAL – Será entregue por Lula ao Congresso nesta manhã, em cerimônia com Pacheco e Lira.

MAIS AGENDA – Pela primeira vez desde março, o IGP-M (8h), que só vinha apresentando deflação, deve subir: +0,02% em agosto (mediana do Broadcast), após recuo de 0,72% em julho. As estimativas vão de -0,17% a +0,25%.

… Os dados do emprego formal do Caged em julho devem ser informados por volta das 9h.

… À tarde (14h30), o mercado projeta déficit primário de R$ 31,90 bilhões para as contas do governo central em julho, após resultado negativo de R$ 45,223 bilhões em junho. No mesmo horário, sai o fluxo cambial semanal.

LÁ FORA – O relatório da ADP (9h15) sobre emprego no setor privado dos EUA deve apontar a abertura de 200 mil vagas em agosto, abaixo de julho (324 mil). O PIB/2Tri (9h30) deve ser revisado para 2,6%, de 2,0% no 1Tri.

… Ainda nos EUA, saem as vendas pendentes de imóveis em julho (11h), com previsão de queda de 0,8%, e os estoques de petróleo do DoE (11h30). Ontem à noite, o API estimou queda semanal de 11,5 milhões de barris.

… Na zona do euro, sai o índice de sentimento econômico em agosto (6h). Na Alemanha, será divulgada a leitura preliminar de agosto da inflação ao consumidor (CPI), às 9h. À noite (22h30), tem PMI composto na China.

NÃO AMOLECEU – O mercado doméstico chegou a acusar algum desconforto com a tentativa da ala política do governo de melar os planos de Haddad de déficit primário zero para 2024. Mas o desfecho do dia foi positivo.

… O dólar chegou a zerar a queda no pior momento do dia, temendo que o compromisso fiscal poderia ser flexibilizado. Mas a garantia da Fazenda de que nada muda devolveu o apetite por risco nos negócios.

… Além disso, também a sensação de que o Fed não subirá mais o juro este ano deu um choque de alívio em NY e ajudou a destravar o risk-on por aqui, levando o Ibovespa (+1,10%) a retomar os 118 mil pontos (118.403,61).

… O giro de R$ 20 bi continuou dentro das médias constrangedoras, com os estrangeiros em fuga do Brasil.

… Ainda embalada pela expectativa de estímulos na China, Vale (ON, +3,19%, a R$ 64,97) deu impulso ontem à bolsa, junto com os bancos, que continuaram festejando em bloco a chance de o governo não acabar com o JCP.

… Itaú subiu 1,58% (R$ 28,21), Bradesco PN ganhou 1,18% (R$ 15,49) e BB teve alta de 0,56% (R$ 48,55).

… Petrobras teve ganhos modestos (PN, +0,22%, a R$ 32,40; e ON, +0,37%, a R$ 35,53), apesar de o petróleo Brent para novembro ter ido bem (+1,24%, a US$ 84,91), sustentado pelo dólar fraco e furacão na Flórida.

… A Chevron, grande produtora offshore da região do Golfo do México, está evacuando temporariamente os trabalhadores em algumas de suas instalações localizadas perto de Nova Orleans, antes da passagem do Idalia.

… Na noite de ontem, o furacão ganhava força rumo à Flórida e a previsão é de que atingirá a categoria 4.

… A lista das maiores altas do Ibov foi liderada pela Marfrig (+10,70%), após anúncio da venda de ativos de R$ 7,5 bi à Minerva (-18,26%), que reagiu ao receio do investidor com o nível de alavancagem após o negócio.

… CVC (+6,36%) foi impulsionada pelo pedido de recuperação judicial da concorrente 123 Milhas.

… Na ponta negativa, GPA (-4,18%) registrou o quinto pregão seguido de baixa, ainda na esteira da segregação de ativos do Éxito. Outras varejistas também voltaram a cair: Petz (-2,78%); Arezzo (-2,34%) e Assai (-1,65%).

DURO NA QUEDA – A resistência de Haddad às pressões internas no PT para adotar uma meta de déficit de até 0,75% do PIB no próximo ano pegou bem não só na bolsa, mas também no câmbio e na curva do DI nesta 3ªF.

… O dólar ensaiou algum estresse e parou de cair quando surgiram as especulações de que haveria alguma guinada na rota fiscal. Mas o desmentido da Fazenda não demorou a baixar o nervosismo e aliviar a pressão.

… A moeda americana pôde, assim, voltar a acompanhar a queda em escala global despertada pela aposta de que o ciclo de aperto monetário do Fed acabou. Aqui, o dólar fechou em baixa de 0,42%, cotado a R$ 4,8546.

… Também o contrato futuro da moeda para setembro terminou na faixa de R$ 4,85. Caiu 0,39%, a R$ 4,8590.

… Entre hoje e amanhã, o câmbio deve refletir mais fortemente os interesses relacionados à disputa da ptax.

… A perspectiva de que os juros vão ficar estáveis nos EUA e a melhora da percepção do risco fiscal no Brasil, com Haddad desviando do fogo amigo, garantiram ainda rodada de alívio nos prêmios de risco da curva do DI.

… Tirando o contrato de DI para jan/24, que ficou praticamente estável, em 12,400% (contra 12,396% na véspera), os demais vencimentos caíram. Jan/25 fechou na mínima de 10,460%, contra 10,518% no dia anterior.

… Jan/26 recuou para um dígito, a 9,980% (de 10,073%). O jan/27 terminou o dia em 10,115% (de 10,213%); jan/29 voltou para 10,570% (de 10,676%); e o jan/31 pagou 10,850%, abaixo de 2ªF (10,963%).

LIGEIRINHO – NY nem quis esperar pelo payroll, PCE e PIB dos EUA para já sair promovendo três mudanças importantes nas apostas para o Fed, que ainda terão, porém, que ser validadas pela agenda da semana.

… A expectativa de pelo menos mais uma alta do juro este ano foi revertida pelo relatório de emprego Jolts, que mostrou o menor número de vagas abertas desde março de 2021: 8,827 milhões em julho (previsão: 9,478 mi).

… A chance de o Fed não apertar mais a política monetária saiu ainda favorecida pela inesperada queda da confiança do consumidor em agosto, medida pela Conference Board, para 106,1, dez pontos abaixo da projeção.

… Voltou a ser majoritária (50,1%) na ferramenta do CME a possibilidade de o juro não subir mais em 2023.

… Além disso, subiu para quase 90% (contra 78% na véspera) a aposta de pausa em setembro e o mercado financeiro adiantou de junho para maio do ano que vem o timing para o primeiro corte do juro pelo Fed.

… A inclinação mais dovish das estimativas fez derreter os juros dos Treasuries. A taxa do papel de 2 anos caiu mais de 3% e furou o piso de 4,90% na mínima do dia, para fechar a 4,904%, contra 5,058% no pregão da véspera.

… O rendimento da Note-10 anos retrocedeu para 4,111%, de 4,202%, com o investidor revertendo a impressão mais conservadora deixada pelos comentários de Powell em Jackson Hole, onde não descartou mais apertos monetários.

… A esperança de que o juro fique onde está derrubou o dólar. O DXY caiu 0,51% e veio abaixo dos 104 pontos (103,531). Subiram o euro (+0,54%; US$ 1,0889), a libra (+0,36%; US$ 1,2652) e o iene (+0,46%; 145,77/US$).

… As bolsas em NY surfaram na onda de otimismo das apostas renovadas para o Fed. O Dow Jones subiu 0,85%, aos 34.852,87 pontos; o S&P 500 avançou 1,45% (4.497,77 pontos); o Nasdaq teve alta de 1,74% (13.943,76 pontos).

EM TEMPO… ELETROBRAS fará em setembro a maior captação já realizada no mercado de renda fixa do Brasil, de R$ 7 bilhões em títulos de dívida (debêntures). BTG Pactual, Bradesco BBI, UBS BB e Santander são os bancos coordenadores.

… Segundo a Coluna do Broadcast, a definição da rentabilidade aos investidores está marcada para 15/9. A expectativa é de que a Eletrobras não tenha dificuldades para a oferta, cuja reserva começa no próximo dia 5 e vai até o dia 14.

FRIGORÍFICOS. Documento atribuído ao Ministério da Agricultura, que circulou nas redes sociais e foi compartilhado no setor pecuário, detalha os nomes dos 20 frigoríficos listados pela pasta e que estariam aptos a exportar para a China.

… A JBS teria cinco plantas listadas, assim como a concorrente Minerva. Marfrig consta com duas plantas e BRF, com duas.

TIM. JPMorgan reiterou recomendação overweight para a ação da empresa e a destacou como top pick do setor. O banco ainda elevou o preço-alvo de R$ 18 para R$ 19, um potencial de valorização de 26,7% sobre o fechamento de ontem (R$ 14,99).

B3. O Itaú BBA reiterou a recomendação outperform e elevou o preço-alvo da ação para o final de 2024 a R$ 18.

… A avaliação do banco é que a companhia oferece exposição de alta qualidade ao ciclo de queda dos juros e sugere aproveitar a recente queda de preços como ponto de entrada no papel.

GAFISA. Justiça de São Paulo penhorou todas as marcas da construtora para garantir o pagamento de uma dívida de R$ 1,4 milhão com um condomínio de luxo no Itaim Bibi, zona Sul da capital paulista, por gastos com reparos no empreendimento.

COESA. Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo anulou o plano de recuperação judicial da Coesa (antiga OAS), por considerá-lo ilegal, e deu 60 dias para a empreiteira reformular a proposta e realizar uma nova assembleia geral de credores.

BRASIL COMERCIALIZADORA. Justiça de SP também negou o pedido de recuperação judicial da companhia pela falta de requisitos mínimos para prosseguir com o processo. A Brasil comercializa energia e tem dívidas estimadas em R$ 335 milhões.

CITIGROUP. SEC multou o Citigroup Global Markets em US$ 2,9 milhões por violação consciente de regras de registros no uso de um método sem fundamentos para calcular gastos indiretos ao seu trabalho como subscritor de 2009 a 2019.

ALPHABET & NVIDIA. Expandiram a parceria para construir e implantar “modelos massivos” para a inteligência artificial.

AOS ASSINANTES DO BDM, BOM DIA E BONS NEGÓCIOS!

*com a colaboração da equipe do BDM Online

AVISO – Bom Dia Mercado, produzido pela Mídia Briefing, não pode ser copiado e/ou redistribuído.

Veja Também