Morning Call

PIB nos EUA e PL dos fundos estão na agenda do dia

Atualizado 29/11/2023 às 01:45:24

Por Rosa Riscala e Mariana Ciscato*

[29/11/23]

… A segunda estimativa do PIB/3Tri nos EUA (10h30) deve confirmar o forte crescimento da leitura preliminar (4,9%), mas sem abalar as apostas de que os aumentos do juro acabaram e os cortes devem começar em maio. Às 16h, o Livro Bege do Fed, com o sumário das condições econômicas para a reunião de política monetária de dezembro, pode reforçar o otimismo do mercado. Nesta 3ªF, as taxas dos Treasuries afundaram após um Fed boy citar sinais de “moderação” da inflação. Mais tarde, outro dirigente também considerou “encorajador” que as expectativas permaneçam bem ancoradas. Aqui, está na pauta de votações do Senado o projeto que taxa os fundos exclusivos e offshores, enquanto a equipe econômica negocia novas concessões à MP da subvenção do ICMS.

… No intuito de encontrar um consenso e avançar com essa matéria na Câmara, a Fazenda sugeriu uma série de ajustes na proposta que altera a tributação federal sobre casos de subvenção estadual concedida a empresas, segundo apuraram o Estadão e o Valor.

… Entre os principais ajustes, está a incorporação de uma transação tributária específica para o estoque de créditos que foram abatidos indevidamente pelas empresas, que deduziram o ICMS da base do IRPJ e CSLL no financiamento de custeio e não investimentos.

… A nova proposta mantém o efeito retroativo da dedução, mas os débitos poderão ser pagos com descontos de até 65% e parcelados.

… Quanto aos futuros créditos fiscais deverá ser excluída do texto a necessidade de a empresa comprovar a conclusão da implantação ou expansão do empreendimento, um dos requisitos que estava na MP enviada pelo governo.

… Com o texto original, os técnicos calculavam conseguir uma arrecadação adicional de R$ 35,3 bilhões no próximo ano, essenciais para a meta de zerar o déficit. O ministério ainda não divulgou uma estimativa atualizada de receitas, após as mudanças.

… Os presidentes da Câmara, Arthur Lira, e do Senado, Rodrigo Pacheco, decidiram que a proposta da subvenção do ICMS, tramitará nas duas Casas por meio da Medida Provisória. O relator será o deputado Luiz Fernando (PSD), aliado de Pacheco.

… As negociações são feitas pelo secretário-executivo da Fazenda, Dario Durigan, enquanto Haddad estará em Dubai para a COP28.

… A comissão mista do PL da subvenção do ICMS será instalada hoje, às 14h30.

FALTA MUITO – Dando tudo certo hoje com a votação do projeto de lei que taxa os fundos exclusivos e offshores (e as bets) no Senado, ainda faltará muita coisa da agenda de Haddad para ser votada antes que o Congresso pare no recesso do fim de ano.

… O líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT), citou três prioridades ao Estadão: a MP das subvenções do ICMS, reforma tributária e a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e a Lei Orçamentária Anual (LOA).

… Ainda estão na fila as mudanças no uso do Juros sobre Capital Próprio (JCP) e os vetos de Lula, que andaram perigando no Congresso.

… Tanto Lira como Pacheco estão prometendo um esforço concentrado para a semana de 11 a 15 de dezembro, quando voltam de Dubai. As indicações dos diretores do BC, do novo PGR e de Flávio Dino para o STF também ficaram para esse período.

AGENDA VERDE DE LIRA – A Câmara deu início à votação dos projetos dessa pauta, começando pela aprovação ontem à noite do marco legal do hidrogênio verde (produção de energia com baixa emissão de carbono), na agenda que quer fazer bonito na COP28.

… O relator, deputado Bacelar (PV), atendeu a um pedido da Fazenda e retirou do texto a criação de novos incentivos fiscais.

… Em paralelo, deputados aprovaram urgência para mais três projetos da agenda, incluindo uma alternativa de financiamento defendida por Lira, o Programa de Aceleração da Transição Energética (PATEN), abastecido com crédito tributário devido pela União às empresas.

… Outro projeto que está pronto para ir direto ao plenário, sem passar pelas comissões, é o marco legal das usinas eólicas offshore, cujo texto é criticado por ambientalistas e pelo setor de energia elétrica, e pode aumentar o custo da energia em R$ 28 bilhões.

… Esse impacto é atribuído aos “jabutis” que foram incorporados à proposta, sendo que o principal deles se refere ao preço-teto do gás que será comprado para suprir as termelétricas em Estados que não têm gás canalizado no Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

… A construção dessas usinas se tornou obrigatória no processo de privatização da Eletrobras, com custo estimado de R$ 16 bilhões, fora R$ 8,6 bi com pequenas centrais hidrelétricas, R$ 500 mi com energia eólica no Sul e R$ 3 bi para térmicas a hidrogênio verde.

… Uma última proposta na agenda verde regulamenta o mercado de carbono e sofre forte resistência da bancada do agronegócio.

UM FUNDO PARA A EDUCAÇÃO – O financiamento da nova política para os alunos do ensino médio por meio de um fundo privado que é gerido pela Caixa levantou críticas dos especialistas em contas públicas, que veem uma tentativa de escapar do arcabouço.

… Para eles, ao colocar essa política pública fora do Orçamento, o governo fere a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

… O Executivo já tem pronta uma MP (1.198) para o fundo, que não estipula valores, mas pode chegar a R$ 20 bilhões, alimentado por aportes da União ou ações de estatais ou de empresas em que o governo tenha participação minoritária.

… Além disso, a MP possibilita que a União inclua nos leilões de óleo e gás cláusula para o vencedor do certame fazer aportes ao fundo.

COP28 – Antes da participação na Conferência sobre Mudanças Climáticas, que começa na 6ªF, em Dubai, Haddad acompanha Lula hoje, em Riad (Arábia), em almoço com empresários sauditas (6h30 de Brasília).

… Às 8h30, eles participam de abertura de seminário promovido pela Embraer no país do Oriente Médio.

MAIS AGENDA – Pressionado pelos preços agropecuários, o IGP-M (8h) deve acelerar para 0,58% em novembro (mediana de pesquisa Broadcast), após 0,50% em outubro. O intervalo das estimativas vai de 0,42% a 0,75%.

… À tarde (14h30), o Tesouro solta o relatório da dívida pública federal de outubro. No câmbio, o BC inicia a rolagem dos contratos de swap que vencem em fevereiro (US$ 15,5 bilhões), com oferta de até US$ 800 milhões (11h30).

… Devido à operação-padrão dos servidores BC, os dados do fluxo cambial vão atrasar para amanhã.

… Campos Neto (BC) tem reuniões hoje com Esther Dweck (11h30), Tebet (16h) e Padilha (18h).

… Durante participação em seminário, ontem, Tebet disse que a revisão de gastos proposta pelo Planejamento não tem como objetivo chegar à meta fiscal de déficit primário zero em 2024, mas alcançar um gasto eficiente.

MAIS UM – A Bloomberg veiculou na noite de ontem reportagem em que o investidor bilionário Bill Ackman aposta que a Fed começará a cortar as taxas de juro mais cedo do que o mercado prevê, já no 1Tri.

LÁ FORA – Com os investidores já preparando o espírito para um corte do juro nos EUA no ano que vem, a presidente do Fed de Cleveland, Loretta Mester, discursa à tarde (15h45), pouco antes do Livro Bege.

… Ao meio-dia, saem os estoques de petróleo do DoE, que têm previsão de crescimento de 900 mil barris.

… Inflação é destaque na Alemanha, com o CPI de novembro (10h). Andrew Bailey (BoE) fala às 12h05.

… No final da noite (22h30), saem na China os dados oficiais do PMI industrial e de serviços de novembro.

QUER ROMPER – De volta aos níveis da semana passada, o Ibovespa encostou nos 127 mil pontos com a ajuda da força do petróleo e da surpresa com os comentários dovish de quem menos se esperava: um falcão do Fed.

… Brigando para mudar de patamar, o índice à vista investiu até os 126.916,00 pontos na máxima intraday. No fechamento, desacelerou um pouco (+0,64%), para 126.538,32 pontos, com volume financeiro de R$ 22 bilhões.

… Faltando só dois pregões para o mês acabar, o Ibovespa acumula alta de quase 12% em novembro, período em que se tem observado bom apetite por risco, a julgar pelas entradas de k externo, que superam R$ 16 bi.  

… Ontem, Petrobras engatou a marcha (ON, +0,93%, a R$ 37,85; e PN, +1,51%, a R$ 35,60), na cola da alta firme do petróleo, que ignorou os rumores de novo adiamento da reunião da Opep+ e se valeu do dólar fraco.

… O Brent/fev subiu 2%, a US$ 81,47. A Reuters reportou que as conversas no cartel e aliados estão difíceis, pondo em risco o encontro ministerial, que deveria ter acontecido domingo e está remarcado para amanhã.

… Mas analistas comentam que o desfecho mais provável é que os níveis de produção global do grupo continuem mais ou menos onde estão hoje, sobrando para os sauditas e russos enxugarem a oferta.

… Vale subiu pouco (+0,22%, a R$ 73,47), mas foi importante ter conseguido desafiar o forte ajuste em queda do minério (-2,61%), diante da pressão da China para acabar com os movimentos especulativos de alta no metal.  

… Os investidores também apareceram no Ibov para comprar bancos: BB (+1,45%; R$ 52,65), Itaú (+0,98%; R$ 30,90), Bradesco PN (+0,93%; R$ 16,21) e Bradesco ON (+0,49%; R$ 14,23). A exceção foi Santander (-0,16%).

… As ações da Enerva (-3,06%, a R$ 12,35) ampliaram as perdas da véspera (-2,5%) e lideraram o ranking negativo da carteira do Ibov, ainda repercutindo a notícia sobre a possível fusão com a Vibra (+0,78%; R$ 21,86).

… Depois do fechamento dos mercados, porém, a Vibra rejeitou os termos da proposta de fusão enviada pela Eneva no domingo e informou que só discutirá o negócios se a combinação de negócios melhorar “significativamente”.

SERVIU AOS INTERESSES – Em plena briga da ptax no câmbio, não poderia ter vindo em melhor hora para os vendidos as declarações de um dirigente do Fed cogitando a possibilidade de os juros caírem no ano que vem.

… O corte no horizonte deflagrou queda consistente do dólar em escala global, e aqui, a moeda americana (-0,57%) se afastou de R$ 4,90, a R$ 4,8719. No câmbio futuro, o contrato para dezembro caiu 0,47%, a R$ 4,8725.

… O alívio no dólar, porém, foi pouco capitalizado pela curva do DI, que tampouco reproduziu com maior intensidade o ajuste em queda dos rendimentos dos Treasuries provocado pelo pivô dovish do dirigente do Fed.

… Também a boa notícia do superávit primário do Governo Central em outubro (US$ 18,277 bilhões) acima do esperado (R$ 15,5 bilhões) não teve grande impacto nos juros futuros, que oscilaram de forma moderada.

… A ponta curta exibiu viés de alta com o IPCA-15 (0,33%) acima do esperado (0,30%), embora o resultado não mude as apostas de mais dois cortes de meio ponto da Selic (dezembro e janeiro). Março é que ainda dá jogo.

… Segundo o Broadcast, a prévia da inflação superior ao consenso foi atribuída a itens voláteis, como passagens aéreas e alimentação, o que não compromete a tendência de desinflação em curso, ainda que em ritmo lento.

… Sem susto com o IPCA-15, o UBS BB diminuiu ontem a sua projeção para a inflação do Brasil neste ano de 4,7% para 4,5%, citando a desaceleração mais rápida dos serviços subjacentes como justificativa para a revisão.

… Seja como for, de olho na prévia de inflação superior ao que se imaginava, o contrato do DI para jan/25 subiu a 10,450% (de 10,401% na véspera); o jan/26 avançou a 10,135% (de 10,076%); e jan/27, 10,235% (de 10,212%).

… Os demais vencimentos registraram quedas discretas, apesar de as taxas dos Treasuries terem desarmado pressão. Jan/29 caiu a 10,630% (de 10,644%); jan/31, a 10,830% (de 10,871%); e jan/33, 10,920% (de 10,960%).

… No contexto fiscal, a Warren Rena revisou a estimativa de déficit primário deste ano de 1,1% para 1,3% do PIB, considerando que novembro e dezembro terão aumento de gastos, especialmente da Previdência Social.

… A S&P elevou a expectativa de crescimento do PIB brasileiro no ano que vem, de 1,2% anteriormente para 1,5%, citando potencial impulso promovido pela taxa Selic em queda e pelo apoio fiscal “contínuo” no País.

… Indicados às vagas na diretoria do BC, os nomes de Rodrigo Teixeira e Paulo Picchetti foram aprovados com folga nesta 3ªF na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e serão agora levados para apreciação no plenário do Senado.

ATÉ TU? – Ninguém diria que justamente um dos diretores mais hawkish do Fed e uma das vozes mais influentes é que sinalizaria corte do juro nos EUA, se a queda da inflação continuar “por três meses, quatro meses, cinco meses”.

… Para a surpresa geral, foi de Christopher Waller que veio este comentário. Ainda ontem, em um capítulo de relatório do BIS, outro Fed boy (John Williams) considerou “encorajadoras” as expectativas de inflação ancoradas.

… De nada adiantou Michelle Bowman e Austan Goolsbee terem se apressado a dizer que não é bem assim, apontando a possibilidade de mais aperto monetário. O mercado não embarcou nessa e acionou risk-on.  

… Um dia antes da fala dovish de Waller, na 2ªF, os investidores já precificavam chance maior de cortes no juro a partir de maio, projetando um ajuste total de -1pp no ano que vem. Estas apostas só tendem a crescer no CME.  

… Se até um falcão do Fed já se atreve a contratar juro menor, o mercado não viu razão ontem para ser conservador.

… O rendimento da Note-2 anos furou a marca psicológica dos 4,75% e voltou aos menores níveis desde julho: 4,738%, contra 4,877% na véspera. Também o bônus de 10 anos pagou taxa menor: 4,337%, de 4,386% na 2ªF.

… No câmbio, o índice DXY (-0,44%), que mede o fôlego do dólar em relação a outras seis moedas fortes, veio abaixo da linha dos 103,000 pontos (102,746). A potencial guinada dovish do Fed eleva as apostas contra a divisa dos EUA.

… Neste cenário, já se comenta que o euro (+0,35%), que ontem fechou a US$ 1,0987, está a caminho de quebrar a barreira de US$ 1,10, mesmo porque os integrantes do BCE não têm aliviado sobre o risco de o juro subir mais.

… O mesmo vale para a libra (+0,53%). Ontem, o número dois do BC inglês (BoE), Dave Ramsden, reiterou que as taxas precisarão permanecer restritivas por mais tempo. Também o iene subiu forte, a 147,51/US$ (+0,79%).

… Apesar de NY poder sonhar agora mais concretamente com um corte do juro, as bolsas em Wall Street fecharam com ganhos moderados. Estrategistas têm reparado na estagnação das ações, depois de um boom recente.

… Perde força, segundo analistas do Citigroup, a recuperação que levou o S&P 500 em novembro a um dos seus melhores ganhos em um século. Ontem, o índice limitou a valorização a apenas 0,10%, aos 4.554,89 pontos.

… Também o Dow Jones (+0,24%, a 35.416,98 pontos) e Nasdaq (+0,29%, a 14.281,76 pontos) foram devagar.

EM TEMPO… Depois de executivos da Vale demonstrarem falta de interesse em rever os termos da renovação antecipada das concessões de ferrovias, o ministro dos Transportes, Renan Filho, decidiu subir o tom…

… Em entrevista ao Valor, ele admitiu que está disposto a levar o caso à Justiça por desfavor ao poder público…

… A crítica do ministro dos Transportes é dirigida não só à renovação antecipada de dois trechos ferroviários da Vale, em especial a Estrada de Ferro Carajás, mas também aos contratos assinados pela Rumo e MRS.

PETROBRAS confirmou que solicitou ao Cade a renegociação dos Termos de Compromisso de Cessação (TCCs) do Refino e Gás celebrados em 11 de junho e 8 de julho de 2019, respectivamente…

… UBS BB elevou preço-alvo das ações da estatal de R$ 42 para R$ 43, reiterando recomendação de compra, mas reduziu preço-alvo dos ADRs da estatal de US$ 17,50 para US$ 17,20…

… Banco avaliou que, embora o plano estratégico da companhia para 2024-28 tenha sido “conservador”, a Petrobras tem um “grande potencial” de distribuição de dividendos e maiores fluxos de caixa.

ASSAÍ. Orbis Investment Management atingiu participação de 101.307.801 de ações ON e 6.783.358 de ADRs, representando 10% do total de ações emitidas pela companhia.

INCORPORADORAS. FGTS destinará R$ 95,85 bilhões para construir 339 mil unidades do MCMV no ano que vem.

AOS ASSINANTES DO BDM, BOM DIA E BONS NEGÓCIOS!

*com a colaboração da equipe do BDM Online

AVISO – Bom Dia Mercado, produzido pela Mídia Briefing, não pode ser copiado e/ou redistribuído.

Veja Também