Petróleo

Petróleo sobe com apoio da oferta restrita e estímulo da China que compensa nervosismo do Fed

Atualizado 25/07/2023 às 08:33:22

O petróleo mantém-se nas máximas de três meses, já que sinais de oferta mais restrita e expectativas de mais estímulos chineses ajudam a compensar a incerteza sobre a reunião do Fed. No início de semana, commodity sobe mais de 2% em um cenário de oferta global mais restrita, já que os efeitos dos recentes cortes na produção da Opep e da Rússia começaram a ser sentidos.

Há pouco o Brent/setembro subia 0,33%, a US$ 83,01, e o WTI/setembro +0,34%, a US$ 79,01. O Politburo prometeu implementar medidas de apoio d0epois que dados mostraram que o crescimento chinês desacelerou no 2TRI, o que aumentou as esperanças de que o consumo de petróleo melhore este ano. Embora a China tenha quase batido recordes de importação de petróleo bruto até agora em 2023, a demanda por combustível ainda luta para atingir os níveis pré-covid.

Os ganhos nos mercados são limitados pela reunião do Fed. Embora esteja amplamente precificado um aumento de 25 pb amanhã, ainda não se sabe se o banco sinalizará o fim do ciclo de alta de quase 16 meses. Os mercados também estão focados nos dados de estoque dos EUA que saem hoje e amanhã. (Ana Katia + agências)

Veja Também