Petróleo

Petróleo cai mais de 4% com aumento de estoques e temor sobre demanda

Atualizado 16/11/2023 às 17:10:07

As cotações do petróleo caíram para os menores níveis desde julho, influenciadas por fatores técnicos e estoques em alta nos EUA.

Na mínima do dia, o Brent recuou 5,6%, abaixo de US$ 77, um suporte técnico importante que, após rompido, acelerou as vendas. O WTI caiu 5,9%, na mínima, para perto de US$ 72, após romper a média móvel de 200 dias.

Também continuou pressionado pelo aumento de 17,5 milhões de barris nos estoques de petróleo bruto nos EUA nas últimas duas semanas, segundo informou o DoE, ontem.

Enquanto isso, as refinarias da China, o maior importador mundial de petróleo bruto, reduziram as taxas diárias de processamento em 2,8% em outubro, o que aponta para uma queda na demanda de combustível.

Além desses fatores, o aumento do número de pedidos de auxílio-desemprego para o maior nível em 2 anos nos EUA, e a queda da produção industrial, se adicionam a outros dados que mostram desaceleração na economia, e na demanda, nos EUA.

No fechamento, o contrato Brent para janeiro cai 4,63%, a US$ 77,42 por barril, na ICE. O WTI para dezembro recuou 4,81%, a US$ 73,09 por barril, na Nymex. (BDM Online + agências)

Veja Também