Morning Call

Payroll é decisivo antes do Fomc e Copom

Atualizado 08/12/2023 às 01:13:13

Por Rosa Riscala e Mariana Ciscato*

[08/12/23]

… Investidores em NY estão cautelosamente otimistas para esperar o payroll (10h30), depois que os relatórios Jolts e ADP apontaram para o enfraquecimento do mercado de trabalho americano, fortalecendo as apostas de que o Fed começará a cortar o juro em março. A mediana das estimativas está abaixo de 200 mil postos de trabalho criados em novembro (198 mil), com a taxa de desemprego estável em 3,9% e aumento de 0,30% do salário médio. O crescimento de vagas em relação a outubro (150 mil) é atribuído ao efeito estatístico com o fim da greve das montadoras. Os números de hoje são considerados decisivos para projetar a política monetária antes das reuniões do Fomc e do Copom, na Super Quarta (13), quando a semana também será movimentada pelas votações da pauta econômica no Congresso.

… O que o Fed decidir terá impacto expressivo nos mercados domésticos, influenciado a bolsa, os juros e o câmbio, que já estão refletindo as expectativas de uma queda antecipada dos juros nos EUA, com os sinais de desinflação e desaceleração do emprego.

… Assim, quanto mais fraco vier o payroll, mais entusiasmo pode contagiar os ativos lá e aqui. As previsões para a criação de vagas oscilam entre 130 mil e 275 mil vagas. A curva dos Treasuries precifica um alívio total de 125pbs em 2024, já a partir do primeiro trimestre.

… Mas há a possibilidade de um ajuste no mesmo pregão, já que as taxas americanas fecharam muito no último mês, com o yield 10 anos saindo de 5% em outubro para a faixa atual de 4,14%. O espaço para novas quedas é, portanto, limitado.

… Aqui, um novo corte de 0,50pp da Selic, na 4ªF, é a expectativa unânime de 57 instituições consultadas pelo Broadcast, após as apostas em ritmo mais acelerado terem sido zeradas com o PIB/3Tri, nesta semana, que surpreendeu pelo resultado positivo (+0,10%).

… Na mediana, o mercado acredita em uma Selic terminal de 9,50%, com o ciclo de quedas se encerrando em julho de 2024.

… Em paralelo, a percepção fiscal dependerá do avanço da agenda econômica, cujas votações estão concentradas na próxima semana. O Congresso promete um esforço concentrado para limpar a pauta antes do recesso do fim de ano.

… Nesta 5ªF, o relator da Lei de Diretrizes Orçamentárias, Danilo Forte (União Brasil), apresentou seu parecer final e, como esperado, não incluiu a emenda Randolfe, que limitava o bloqueio de despesas, independentemente de o governo ter alcançado a meta fiscal.

… Por outro lado, incluiu as emendas de comissões permanentes no calendário que obriga o governo a reservar recursos para pagamento até o mês de julho de cada ano. Inicialmente, a regra valeria apenas para as emendas individuais e de bancada, que são obrigatórias.

… O relatório da LDO determina que o Orçamento de 2024 tenha R$ 11 bilhões de emendas de comissão liberados pelo governo Lula logo no primeiro semestre, antes das eleições. E o governo deverá efetuar o pagamento onde o parlamentar mandar.

… A medida aumenta o controle do Congresso sobre a liberação de recursos do Orçamento e reduz o poder de barganha do Planalto.

… Hoje, o presidente da República edita decretos que fixam limites mensais de empenho e pagamento das verbas públicas, mesmo para as emendas impositivas. Com o calendário estabelecido na LDO, os parlamentares ficarão menos “reféns” do governo.

… No Estadão, esta é uma forma de recuperar o orçamento secreto, que foi declarado inconstitucional pelo STF.

… O relatório, aprovado na Comissão Mista de Orçamento, autoriza expressamente o Congresso a tirar recursos dos ministérios e do PAC, que tem verba de R$ 61 bilhões em 2024, para aumentar o valor das emendas de comissão e das emendas de bancadas.

… O relator-geral do Orçamento, deputado Luiz Carlos Motta (PL), fez um corte de R$ 2 bilhões no orçamento para encaixar as emendas e autorizou os relatores setoriais a cortarem mais R$ 4 bi para a mesma finalidade.

… Com toda essa engenharia, o valor das emendas parlamentares deve beirar R$ 50 bilhões, acima do valor reservado de R$ 37,7 bilhões pelo governo. A quantia final ainda não está fechada e só deve ser conhecida durante a votação do Orçamento, no fim do ano.

… Para abrigar todas as emendas que os deputados e senadores querem, mais cortes terão de ser feitos até a aprovação do projeto. A previsão de Forte é de que o texto seja votado na Comissão Mista de Orçamento (CMO) do Congresso na próxima 3ªF (12).

… Já a apresentação do relatório da MP da subvenção do ICMS, a principal medida de arrecadação para 2024, foi novamente adiada. Só depois desses chamados “ajustes políticos” é que acontecer a votação, também na próxima semana.

… Estão pendentes ainda o projeto de taxação das apostas esportivas e a reforma tributária no Senado, e uma série de vetos do presidente Lula para serem analisados pelo Congresso, entre eles, os vetos ao Carf e ao arcabouço fiscal.

AGENDA FRACA AQUI – Saem a primeira prévia de dezembro do IPC-S (8h), os dados regionais de outubro da produção industrial (9h), a captação da poupança (9h) e o fluxo nas estradas pedagiadas em novembro (10h).

… Lula retornará a Brasília, com decolagem do Rio às 9h e pouso às 10h20 em Brasília.

… Pesquisa Datafolha divulgada nesta 5ªF aponta avaliação estável do presidente Lula, que é aprovado por 38% e reprovado por 30% dos entrevistados. Já no Ipec (antigo Ibope), a avaliação negativa passou de 25% em setembro para 30%.

LÁ FORA – Depois do payroll, sai nos EUA a leitura preliminar de dezembro do sentimento do consumidor medido pela Universidade de Michigan (12h), em que virão embutidas as expectativas de inflação em 1 e 5 anos.

… À tarde (15h), saem os dados da Baker Hughes sobre os poços de petróleo em operação no país.

… Na Alemanha, é importante o CPI de novembro (4h). No final da noite (22h30), tem inflação na China.

JAPÃO HOJE – O PIB real caiu 0,7% no 3Tri, na leitura final, pior que o projetado pelo mercado (-0,5%).

DIVISOR DE ÁGUAS? – Fica a expectativa se o payroll poderá dar hoje o impulso que o Ibovespa precisa para desencantar o rali de fim de ano e, quem sabe até, buscar no curto prazo o recorde histórico (130.776 pontos).

… Ontem, em modo de economia de energia, à espera não só dos dados de emprego nos EUA, mas também do andamento da pauta econômica em Brasília, o Ibov subiu pouco (+0,31%), mas voltou aos 126 mil (126.009,57).

… O volume financeiro negociado pelo índice à vista continuou dentro da rotina fraca, de R$ 20,6 bilhões.

… O salto de quase 4% do minério não conseguiu empolgar a Vale (ON, +0,32%, a R$ 72,60) na mesma medida, mas deu um suporte às ações da CSN Mineração (ON, +1,02%), Usiminas (PNA, +0,97%) e Gerdau (PN, +0,27%).

… Sem convicção, os papéis da Petrobras fecharam cada um para o lado, mas ambos com variações moderadas (ON, +0,31%, a R$ 35,45; e PN, -0,24%, a R$ 33,42), o que contribuiu para o fôlego limitado do Ibovespa nesta 5ªF.

… O comportamento morno das ações da estatal reproduziu o petróleo lá fora, que tentou esgotar a sequência de baixas recentes, mas não conseguiu ganhar fôlego. Na sexta queda seguida, o Brent/fev caiu 0,33% (US$ 74,05).

… O WTI/jan fechou estável (-0,05%), ainda abaixo de US$ 70 (US$ 69,34), de olho nos fundamentos negativos, de muita oferta para pouca demanda. O Citi não descarta reunião de emergência da Opep+ antes de o ano acabar.

… Após o desconforto do dia anterior com a proposta do governo para o Desenrola durar mais três meses, os bancos testaram uma melhora: Itaú (+0,99%; R$ 31,62), Bradesco PN (+0,25%; R$ 16,20) e Bradesco ON (+0,28%; R$ 14,36).

… Ativos ligados a consumo, construção e educação figuraram entre as maiores altas do Ibov. Soma ON avançou 5,68%, a R$ 6,88, e foi acompanhada de EzTec, com +5,44%, a R$ 18,61, e Yduqs, com +4,75%, a R$ 21,19.

… Na primeira sessão após a aprovação da privatização na Alesp, as ações da Sabesp recuaram 1,52%, em movimento de realização considerado natural. A pior queda do dia foi de Engie (-2,69%), rebaixada a venda pelo Citi.

PRE-PA-RA – No clima de suspense, o payroll também é apontado como um gatilho importante para o dólar, que anda preso à faixa de R$ 4,90, mas que pode ser influenciado pelo emprego nos EUA, para o bem ou para o mal.

… Ao Broadcast, o profissional de câmbio Felipe Izac (da Nexgen Capital) observou que, se o exterior não pregar sustos, o dólar tem mais chance de estabelecer um gap de queda até R$ 4,80 ou R$ 4,70 do que de romper R$ 5.

… No curtíssimo prazo, a dinâmica do câmbio está nas mãos do payroll e das votações importantes no Congresso, no esforço concentrado da semana que vem para aprovar a pauta econômica, termômetro da percepção fiscal.

… Ontem, o dólar descolou da queda em escala global (desencadeada pelo salto do iene) e subiu de leve (+0,13%), para R$ 4,9090, com algum fluxo das tradicionais remessas de final de ano de lucros e dividendos ao exterior.

… Apesar desta movimentação observada às vésperas do Natal, o BC informou dados positivos do fluxo cambial na semana passada, com saldo positivo de US$ 787 mi pela via financeira, provavelmente com a volta do k externo à B3.

… Pela conta comercial, houve entrada líquida de US$ 2,821 bilhões. O fluxo cambial total ficou positivo em US$ 3,608 bilhões. No acumulado de novembro, entraram US$ 296 milhões. No ano, ingressaram US$ 24,852 bilhões.

… Acompanhando a alta discreta do câmbio à vista, o dólar futuro para janeiro subiu 0,22% ontem, para R$ 4,9230.

… Também o DI não se arriscou antes do payroll e fechou de lado. A novidade do dia foi o anúncio da Petrobras de corte de 6,6% dos preços do diesel, mas com impacto marginal no IPCA do ano, de só 0,1pp, segundo economistas.

… A Quantitas acredita que a estatal possa anunciar na semana que vem uma redução de 5% no litro da gasolina e, aí sim, haveria reflexo importante na inflação, de -0,12pp, para 4,4% em 2023, segundo os cálculos da gestora.

… Próximos dos ajustes, o DI para jan/25 fechou a 10,320% (de 10,319% na véspera); jan/26, 9,970% (9,977%); jan/27, 10,085% (10,074%); jan/29, 10,520% (10,504%); jan/31, 10,760% (10,729%); e jan/33, a 10,870% (10,842%).

EFEITO SAMURAI – A força do iene, que saltou mais de 2%, para 143,64/US$, roubou a cena no mercado internacional na véspera do payroll, com acenos do presidente do BoJ para uma atuação menos relaxada no juro.

… Kazuo Ueda disse que, daqui até o próximo ano, administrar a política monetária “se tornará mais desafiador”, que a força da demanda interna e as perspectivas salariais serão examinadas e que há “várias opções” sobre os juros.

… Os comentários foram interpretados pelo mercado com um aviso em dois de que o BoJ vai começar a reverter o quadro de juros negativos em breve, marcando uma virada histórica e vindo na contramão dos outros grandes BCs.

… Enquanto o investidor projeta inclinação mais dovish para o Fed, o BCE e o BoE, na direção contrária, o BC japonês pode finalmente estar mais próximo de abandonar a era da política ultra-acomodatícia, que já dura quase oito anos.

… A chance de reviravolta no Japão, ao mesmo tempo em que disparou o iene, derrubou o DXY (-0,59%) a 103,541 pontos. O dólar mostrou fraqueza também contra o euro (+0,24%, a US$ 1,0802) e a libra (+0,23%, US$ 1,2591).

… Em nota a clientes, o Brown Brothers Harriman (BBH) antecipa seis cortes do juro pelo BCE no ciclo que ainda não começou. A previsão joga contra o euro e tende a manter o prestígio do dólar, apesar do pivô dovish do Fed.

… Em clima de esperar para ver o payroll, os juros dos Treasuries pouco se mexeram ontem: yield da Note-2 anos a 4,582%, de 4,603% na véspera; da Note-10 anos a 4,148%, de 4,126%, e do T-Bond de 30 anos a 4,261%, de 4,224%.

… Nas bolsas de NY, o Nasdaq se destacou em alta firme de 1,37%, aos 14.339,99 pontos, embalado pela notícia de que a Alphabet (+5,31%) está desenvolvendo um software de inteligência artificial superior à tecnologia da OpenAI.

… Além disso, as ações da Advanced Micro Devices (AMD) saltaram 9,89% com as indicações de que a Microsoft, Meta e OpenAI devem usar o chip da empresa voltado para a IA, que concorre diretamente com o da Nvidia (+2,4%).

… O S&P 500 avançou 0,80%, aos 4.585,59 pontos, e o Dow Jones foi mais devagar: +0,17%, aos 36.117,38 pontos.

EM TEMPO… BRF aprovou criação de um novo programa de recompra de até 14 milhões de ações ON, o que representa 1,6% dos papéis em circulação.

CARREFOUR. Advent vendeu mais de 12,8 milhões de ações do grupo na B3, o que rendeu mais de R$ 145 milhões à gestora. (fontes do Broadcast)

MULTIPLAN anunciou o lançamento da sexta expansão do MorumbiShopping, com 13.141 m² de novas lojas, incluindo a adição de 7.377 m² de área disponível para lojas e uma readequação do mix de 5.764 m²…

… Além disso, o shopping vai revitalizar a arquitetura, o mobiliário e a fachada…

… Obras estão previstas para iniciar em março de 2024, com inauguração prevista para o primeiro semestre de 2026; investimento total na expansão e readequação será de R$ 233 milhões.

IGUATEMI. Vendas totais subiram 15% em novembro, na comparação anual; vendas de outubro tiveram alta de 9,4% ante mesmo período do ano passado.

CASAS BAHIA quer acelerar grupamento para evitar exclusão dos índices da B3. O conselho de administração aprovou alteração do tratamento de frações resultantes do grupamento de ações aprovado pela companhia.

BRASKEM confirmou ter recebido multas de R$ 72 milhões do Instituto do Meio Ambiente de Alagoas.

B3 divulgou projeções para 2024 e reafirmou estimativas para 2023…

… Despesas ajustadas devem ficar entre R$ 2,065 bi e R$ 2,235 bi em 2023, e entre R$ 2,140 bi e R$ 2,320 bi em 2024; investimentos devem ficar entre R$ 200 mi e R$ 290 mi em 2023, e entre R$ 200 mi e R$ 280 mi em 2024…

… Depreciação e amortização deve ficar entre R$ 1,040 bi e R$ 1,100 bi em 2023, e entre R$ 570 milhões e R$ 630 milhões em 2024…

… B3 fará programa de recompra de até 230 milhões de ações ON, ou 4,1% do total em circulação, entre março/24 e fevereiro de 2025.

GOL vai iniciar voos regulares em nova rota por Bogotá, na Colômbia, a partir de 31 de março de 2024.

MOVIDA convocou AGE para analisar incorporação de controladas CS Brasil Participações e Locações, Marbor Frotas Corporativas, YRC Participações e Green Yalla Mobility e a cisão parcial da Marbor Locadora…

… A movimentação faz parte de reorganização societária. Assembleia será realizada em 29/12.

CPFL informou que a Aneel autorizou a transferência da outorga da Usina Termelétrica Bio Formosa (UTE Bio Formosa), detida pela CPFL Bio Formosa, para o Grupo Vale Verde….

… CPFL Energias Renováveis aprovou 10ª emissão de debêntures, no valor de R$ 190 milhões.

TAESA celebrou incorporação das controladas ATE III, Sant’Ana e Saíra, que será submetida à deliberação de AGE da companhia convocada para 29/12.

AOS ASSINANTES DO BDM, BOM DIA E BONS NEGÓCIOS!

*com a colaboração da equipe do BDM Online

AVISO – Bom Dia Mercado, produzido pela Mídia Briefing, não pode ser copiado e/ou redistribuído.

Veja Também