Juros

Juros futuros reproduzem piora externa

Atualizado 27/07/2023 às 18:11:41

Com exceção da ponta curta do DI, que fechou perto dos ajustes, porque está fechada para um corte de meio ponto da Selic na semana que vem, os demais contratos dos juros futuros subiram. A pressão esteve diretamente associada ao repique dos rendimentos dos Treasuries com o PIB/2Tri forte dos EUA, que levou o juro da Note-2 anos a se aproximar dos 5%, enquanto o de 10 anos fechou colado em 4%.

Ainda que sem maior carga de estresse, o DI acompanhou à tarde a piora externa, diante da investida do Fed para tentar elevar os níveis de exigência de capital dos grandes bancos. Além disso, causaram desconforto os rumores na imprensa de que o BoJ estuda alterar o controle da curva de juros na reunião que fará durante a madrugada. O mercado receberia com surpresa esta iniciativa, já que não se esperava para já qualquer transição para uma política monetária menos relaxada.

No fechamento, o contrato de DI para jan/24 estava praticamente estável, a 12,600% (de 12,592%); mas o jan/25 subiu a 10,630% (de 10,570%); jan/26, a 10,115% (de 10,038%); jan/27, a 10,210% (de 10,127%); jan/29, a 10,610% (de 10,521%); e jan/31, a 10,840% (de 10,744%). (Mariana Ciscato)

Veja Também