Juros

Juros futuros reproduzem avanço dos yields com Treasuries com ata do Fed

Atualizado 05/07/2023 às 18:08:37

A curva do DI ampliou as altas à tarde, na movimentação que coincidiu com a leitura da ata do Fed. O documento destacou que a inflação americana continua rodando alta e considerou apropriados novos apertos do juro nos EUA este ano.

Segundo o Citi, a ata indica que o Fomc deve promover mais duas doses de elevação do juro, de 25 pontos-base cada uma (julho e setembro). Os rendimentos dos Treasuries aceleraram os ganhos e botaram pressão nos juros futuros por aqui.

Os negócios domésticos também mantiveram no radar as articulações políticas da agenda econômica no Congresso. Lira quer votar a reforma tributária amanhã à noite. No fechamento, o contrato de DI para jan/24 subiu à máxima de 12,820% (de 12,783% na véspera); jan/25, a 10,780% (de 10,704%); jan/26, a 10,190% (de 10,059%); jan/27, a 10,230% (de 10,077%); jan/29, a 10,590% (de 10,428%); e jan/31, máxima de 10,790% (contra 10,607% no pregão anterior).

Nesta 4ªF, o Barclays e o USB BB anteciparam a previsão de corte da Selic de setembro para agosto. As duas casas esperam que o Copom inicie o ciclo com queda de 0,25 pp e que depois aumente o ritmo de redução para 0,50 pp nas três reuniões seguintes (setembro, novembro e dezembro). (Mariana Ciscato)

Veja Também