Juros

Juros futuros colam na alta dos yields dos Treasuries e do dólar

Atualizado 20/07/2023 às 18:05:44

A curva do DI embutiu prêmio de risco pelo segundo pregão consecutivo, de carona na pressão dos rendimentos dos Treasuries e na alta moderada do dólar, que voltou à faixa dos R$ 4,80. A surpresa com a queda nos pedidos semanais de auxílio-desemprego nos EUA sinalizou um mercado de trabalho ainda aquecido e levantou a lebre de que os falcões do Fed podem estar certos quando defendem que o juro americano continue subindo depois da alta já contratada para a reunião do Fed na semana que vem.

A perspectiva de um ciclo de aperto mais longo nos EUA levou as taxas dos Treasuries a rodarem mais altas nesta 5ªF, com reflexos aqui especialmente na ponta mais longa da curva. Jan/27 subiu a 10,285% (de 10,225%); jan/29, a 10,660% (de 10,573%); e jan/31, a 10,860% (de 10,769%).

No trecho intermediário, jan/26 fechou a 10,240% (de 10,199%) e, entre os contratos mais curtos, as oscilações foram inexpressivas, porque há menos margem de manobra, já que o início dos cortes da Selic em agosto está dado. Jan/25 fechou a 10,795% (de 10,780%) e jan/24 caiu à mínima de 12,745% (de 12,754%). (Mariana Ciscato)

Veja Também