Ásia

Julho começa com rali na Ásia, após as indicações de desinflação nos Estados Unidos

Atualizado 03/07/2023 às 07:06:08

Os principais mercados asiáticos subiram em bloco, com forte apetite por risco após os sinais de desinflação no indicador mais importante para o Fed, o PCE, que puxou mais um rali de tecnologia em Nova York. A visita da secretária do Tesouro dos EUA à China, nesta semana, também contribuiu para o sentimento positivo.

Em Hong Kong, que liderou as altas, as montadoras de veículos elétricos avançaram com vendas fortes em junho (BYD +4,5%, Li Auto +8,5%) e otimismo generalizado com o resultado da Tesla, divulgado ontem, que bateu recorde de entregas no 2TRI e superou as expectativas de Wall Street. Na madrugada, a empresa de Elon Musk subia mais de 6% no pré-mercado.

Os investidores puseram de lado as preocupações com o desempenho fraco do setor industrial, que voltou à zona de contração no Japão (49,8 pontos em junho, de 50,6 em maio) e desacelerou na China, na leitura do PMI Caixin (de 50,9 pontos para 50,5). O minério de ferro, porém, sentiu a pressão, recuando 1,68% na bolsa de Dalian. Confira o fechamento dos índices:

▪️ Tóquio — Nikkei: +1,70%
▪️ Hong Kong — Hang Seng: +2,06%
▪️ Taiwan — Taiex: +1,00%
▪️ Coreia — Kospi: +1,49%
▪️ China — Xangai: +1,31%
▪️ China — Shenzhen: +0,53%

Veja Também