Ibovespa

Ibovespa testa correção de alta, na contramão de NY, com bancões e Petrobras

Atualizado 05/02/2024 às 10:58:31

https://www.bomdiamercado.com.br/wp-content/uploads/2023/10/ibovespa.png

[05/02/24] Da Redação do Bom Dia Mercado

O Ibovespa renovou máxima há pouco em 127.731,17 (+0,43%), com Petrobras retomando o fôlego e bancões subindo em bloco antes do balanço de Itaú à noite. Altas maiores são limitadas por dólar e juros fortes, na incerteza de quando começam os cortes de taxas nos EUA.

Também pesam Vale, sem rumo definido, e a virada negativa da maioria das metálicas, com aumento de preocupações com a deterioração da economia da China. Papéis do BTG (BPAC11) caem e do BB Seguridade (BBSE3) sobem após os balanços de 4TRI divulgados mais cedo — o lucro líquido de ambos subiu na base anual (+65,9% e +13,7%, respectivamente). Arezzo e Soma lideravam as altas após a confirmação da fusão de operações; Renner (LREN3), a principal concorrente da nova gigante varejista, opera em leve queda.

O pré-mercado de NY segue em baixa (Dow Jones -0,26%, S&P 500 -0,26%, Nasdaq -0,14%), de olho na alta dos rendimentos dos Treasuries e aguardando os PMIs de janeiro de serviços, especialmente a leitura ISM ao meio-dia. (BDM Online + agências)

Blue chips

▪️ Vale (VALE3) estável (R$ 66,08)

▪️ Petrobras PN (PETR4) +0,63% (R$ 41,29)

▪️ Itaú (ITUB4) +0,76% (R$ 32,99)

Maiores altas

▪️ Arezzo (ARZZ3) +3,57% (R$ 65,04)

▪️ Soma (SOMA3) +1,95% (R$ 7,86)

▪️ Santander (SANB11) +1,53% (R$ 29,25)

 Maiores baixas

▪️ Cogna (COGN3) -1,87% (R$ 2,63)

▪️ LWSA (LWSA3) -1,50% (R$ 5,26)

▪️ Braskem (BRKM5) -1,37% (R$ 17,34)

Veja Também