Ibovespa

Ibovespa tenta subir com bancos e exterior positivo, mas petróleo e Vale tiram fôlego

Atualizado 04/10/2023 às 10:49:56

O Ibovespa (+0,04%, a 1134.463,50) segue a tentativa de estabilização de Nova York e Europa com alívio nos rendimentos dos Treasuries de 10 anos, que voltam para a faixa de 4,75%, e fez máxima em alta de 0,27% (113.792,02) antes de pressão da Petrobras zerar todo o ganho.

As petroleiras estão entre as maiores baixas da sessão. Bancos sobem de olho na votação do projeto de taxação de offshores sem JCP, e o alívio em dólar e na curva DI beneficia varejo e aéreas. Nova York abriu em alta (Dow Jones +0,14%, S&P 500 +0,25%, Nasdaq +0,46%), mas há grande expectativa antes da divulgação do desempenho do setor de serviços nos EUA em setembro na medida do ISM (11h), cujo PMI é considerado mais preciso que o da S&P Global (10h45).

Mais cedo, a geração de vagas no setor privado muito abaixo da projeção no relatório ADP em setembro (89 mil) não piorou o humor, mas a correlação desse dado com o resultado do payroll é cada vez mais contestada.

👉🏻 Veja os principais papéis

Blue chips
▪️ Vale (#VALE3) -0,65% (R$ 66,17)
▪️ Petrobras PN (#PETR4) -1,83% (R$ 33,36)
▪️ Bradesco PN (#BBDC4) +0,72% (R$ 14,01)
▪️ Itaú (#ITUB4) +0,41% (R$ 26,71)

Maiores altas
▪️ Arezzo (#ARZZ3) +4,78% (R$ 64,66)
▪️ Magalu (#MGLU) +3,26% (R$ 1,89)
▪️ Pão de Açúcar (#PCAR3) +3,05% (R$ 3,38)

Maiores baixas
▪️ Alpargatas (#ALPA4) -2,16% (R$ 7,70)
▪️ Petrobras ON (#PETR3) -1,96% (R$ 36,02)
▪️ Petrobras PN (#PETR4) -1,88% (R$ 33,32)

Veja Também