Ibovespa

Ibovespa passa por correção após Copom; construtoras e varejistas lideram perdas

Atualizado 22/06/2023 às 18:56:04

A sessão desta 5ªF na B3 foi de correção dos ganhos recentes, refletindo a frustração do mercado com o comunicado do Copom, que contrariou as expectativas e não deu nenhuma indicação clara de corte da Selic a partir de agosto. O Ibovespa fechou em baixa de 1,23%, aos 118.934,20 pontos. O volume financeiro somou R$ 21,5 bilhões, ficando abaixo da média diária de maio, que foi de R$ 27,101 bilhões.

A maior parte das ações do índice fechou no campo negativo. O avanço dos juros futuros afetou especialmente o desempenho de papéis dos setores de construção e varejo, que despontaram na lista de maiores perdas do índice. A maior desvalorização do dia foi #EZTC3, que cedeu 6,64%, a R$ 18,00. Em seguida, #ALPA4 registrou -5,95% (R$ 10,43), #MGLU3, -5,05% (R$ 3,57) e #MRVE3, -5,04% (R$ 11,30).

Os principais bancos também recuaram: #BBDC4, com -2,61% (R$ 16,80); #SANB11, com -1,98%, (R$ 30,68), #BBAS3, com -1,90% (R$ 51,00), #BBDC3, com -1,80% (R$ 14,70) e #ITUB4, com -0,96% (R$ 28,76). Pressionadas pela forte queda do petróleo, #PETR3 baixou 1,65%, a R$ 35,09, e #PETR4 perdeu 1,26%, a R$ 31,46.

Sem a referência da cotação do minério de ferro na China, devido a um feriado no país asiático, #VALE3 também caiu (-0,54%; R$ 66,57). Já as primeiras posições do ranking positivo ficaram com #ABEV3, que ganhou 1,77%, a R$ 15,55, #HAPV3, que teve elevação de 0,95%, a R$ 4,23, e de #VBBR3, que subiu 0,83%, a R$ 18,30. (Igor Giannasi)

Veja Também