Ibovespa

Ibovespa fecha acima dos 119 mil pontos com S&P; aéreas se destacam entre altas

Atualizado 22/06/2023 às 11:34:53

A bolsa brasileira chegou a cair momentaneamente com a decisão do Fed, mas se descolou do exterior, apoiado também pela revisão para positiva da perspectiva do rating soberano do Brasil pela agência S&P. O Ibovespa fechou em alta de 1,99%, aos 119.068,77 pontos, no maior nível desde 21/10/2022. O volume financeiro do pregão alcançou R$ 71,8 bilhões, turbinado pelo vencimento de Ibovespa futuro e exercício de opções sobre o índice.

As ações de companhias aéreas corrigiram as perdas de ontem e se destacaram entre as maiores altas do Ibovespa na sessão desta 4ªF, diante de um cenário mais favorável para o setor, com recuo do juros futuros e do dólar. Na ponta do ranking positivo, #GOLL4 avançou 11,80%, a R$ 11,18. #AZUL4 ganhou 8,66% (R$ 19,95). Ainda figurou a lista #YDUQ3, com +9,86%, a R$ 17,94.

A maior desvalorização do dia foi de #CIEL3, que caiu 2,35%, a R$ 4,58, devido à troca de posições. Em seguida, #CVCB3 baixou 1,91% (R$ 4,10) e #SUZB3 cedeu 0,85% (R$ 46,65). Os principais bancos terminaram a sessão majoritariamente no azul: #ITUB4 (+1,37%; R$ 28,19), #BBDC4 (+0,66%; R$ 16,85), #BBAS3 (+0,49%; R$ 48,86) e #BBDC3 (+0,28%; R$ 14,47).

Mais pressionado pela decisão do STF sobre o PIS/Cofins, devido à falta de provisionamento do banco, #SANB11, que chegou a figurar entre as maiores perdas do índice, se recuperou e fechou com leve queda de 0,23%, a R$ 30,23. Entre as blue chips, #PETR3 registrou +4,30% (R$ 33,69), #PETR4, +4,30% (R$ 30,10) e #VALE3 (+1,75%; R$ 69,02). (Igor Giannasi)

Veja Também