Ibovespa

Ibovespa consolida os 120 mil pontos, puxado por Petrobras; Embraer fica entre baixas de novo

Atualizado 21/06/2023 às 18:04:53

Com o mercado aguardando o comunicado do Copom, com a expectativa de uma sinalização de corte na Selic em breve, o Ibovespa avançou, apoiado no forte desempenho de Petrobras e BB. O índice fechou em alta de 0,67%, aos 120.420,26 pontos, retornando a um patamar que não alcançava desde 4 de abril de 2022. O volume financeiro somou R$ 27,6 bilhões, similar à média diária de maio, que foi de R$ 27,101 bilhões.

A elevação das recomendações das ações da Petrobras para compra pelo Goldman Sachs e pelo Santander impulsionaram os ativos da estatal nesta 4ªF, que figuraram entre as maiores altas do Ibovespa. #PETR4 registrou +4,19% (R$ 31,85) e #PETR3, +3,99% (R$ 35,68). Também na lista, #BBAS3 fechou com +3,15%, a R$ 51,99, na máxima do dia.

Outros bancos também avançaram, no aguardo da decisão do Copom. #SANB11 ganhou 1,16% (R$ 31,30), #ITUB4 subiu 0,97% (R$ 29,04) e #BBDC3 teve elevação de 0,74% (R$ 14,97). A exceção foi #BBDC4, que cedeu 0,23%, a R$ 17,25. Já as primeiras posições do ranking positivo ficaram com #NTCO3 (+7,53%; R$ 17,28), #PRIO3 (+6,94%; R$ 38,67) e #IRBR3 (+5,78%; R$ 40,61).

No campo oposto, #EMBR3 novamente teve a maior desvalorização, recuando 7,42%, a R$ 17,83, ainda impactada pelo baixo número de pedidos de aeronaves durante o Paris Air Show. Em seguida na lista, #CVCB3 baixou 5,25% (R$ 3,97) e #PCAR3 caiu 2,75% (R$ 17,30). As preocupações com a economia chinesa e a queda do minério de ferro influenciaram o desempenho da #VALE3, que perdeu 1,01%, a R$ 66,93. (Igor Giannasi)

Veja Também