Ibovespa

Ibovespa cai com preocupações sobre recessão global e questões políticas internas

Atualizado 05/07/2023 às 10:59:23

Dados fracos da Europa e da China elevam os temores de recessão global, derrubando os mercados asiáticos e europeus. Os índices de NY também recuam (Dow Jones: -0,38; Nasdaq: estável e S&P500: -0,21) na volta do feriado, com as expectativas pela divulgação da ata da última reunião de política monetária do Fed, quando o mercado tentará buscar pistas sobre a perspectiva de o BC norte-americano elevar os juros em 0,25 pp mais duas vezes este ano.

Por aqui, aproxima-se o início do recesso parlamentar, enquanto na Câmara prosseguem as tentativas de votação de projetos como do voto de qualidade do Carf e do arcabouço fiscal, para abrir caminho para a aprovação da reforma tributária ainda nesta semana. O Ibovespa recua 0,13%, aos 118,921,81 pontos. O setor bancário mantém o viés negativo da véspera e cai em bloco. Itaú (#ITUB4) opera estável, com leve alta de 0,07% (R$ 28,80); Bradesco ON (#BBDC3) perde 0,48% (R$ 14,60); Bradesco PN (#BBDC4) -0,18% (R$ 16,51); Banco do Brasil (#BBAS3) recua 0,68% (R$ 49,73) e Santander (#SANB11) -1,23% (R$ 30,39).

Yduqs (#YDUQ3) lidera as altas do índice, subindo 6,50% (R$ 21,46), enquanto Braskem (#BRKM5) recua 4,35% (R$ 27,68), na ponta oposta, depois de a empresa informar que não fechou acordo com a prefeitura de Maceió para o pagamento adicional de R$ 1,7 bilhão pelo afundamento de solo em bairros da capital, decorrente da exploração de sal-gema pela petroquímica. Além disso, o JPMorgan rebaixou a recomendação da ação de overweigh (equivalente a compra) para neutro, cortando o preço-alvo de R$ 30 para R$ 28,50. (Priscila Arone)

Veja Também