Ibovespa

Ibovespa cai com PIB da China e IBC-Br, que vieram abaixo do esperado

Atualizado 17/07/2023 às 11:02:56

O recuo do crescimento da economia da China dá o tom dos mercados globais nesta segunda-feira. A segunda maior economia do mundo avançou 6,3% no 2TRI em relação ao mesmo período de 2022, abaixo de todas as estimativas. Se, por um lado o indicador pode sinalizar demanda reduzida por commodities, pode também apressar Pequim a lançar estímulos adicionais.

No âmbito local, os investidores repercutem o IBC-Br, que caiu 2% em maio na comparação com abril, abaixo das expectativas. O Ibovespa perde 0,41%, aos 117.233,12 pontos. Já NY opera em alta, com o Dow Jones avançando 0,02%, Nasdaq subindo 0,19% e S&P500 +0,04%, com a maior parte das estimativas de que o Fed aumente as taxas de juros no final deste mês, após interromper os aumentos em junho.

Na B3, as ações do setor bancário, que abriram em alta, viraram, com exceção de Santander (#SANB11), que sobe 0,68% (R$ 29,51). Bradesco ON (#BBDC3) tem baixa de 0,14% (R$ 14,50); Bradesco PN (#BBDC4) -0,18% (R$ 16,31); Banco do Brasil (#BBAS3) recua 0,13% (R$ 47,63); Itaú (#ITUB4) estável (R$ 28,28).

Eztec (#EZTC3) registra o melhor desempenho do índice, em alta de 2,33% (R$ 19,79). Companhia teve Valor Geral de Vendas (VGV) de R$ 474,5 milhões em lançamentos no 2TRI, segundo prévia operacional, o que representa um de 272% em relação ao VGV ao 1TRI.

Já BRF (#BRFS3) perde 3,71% (R$ 8,57), depois que foi encontrado um foco de gripe aviária em uma criação de subsistência em Santa Catarina. (Priscila Arone)

Veja Também