Política

Governo anuncia novas medidas de ajuda a população do RS; veja detalhes

Atualizado 15/05/2024 às 15:27:51

https://www.bomdiamercado.com.br/wp-content/uploads/2024/01/lula.jpg

[15/05/24] Da Redação do Bom Dia Mercado

O ministro da Casa Civil, Rui Costa, anunciou nesta quarta-feira (15) uma serie de medidas para auxiliar a população do Rio Grande do Sul, atingidas fortemente pelas enchentes na região. Participam da cerimônia o presidente Lula; ministro da Fazenda, Fernando Haddad; ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social, Paulo Pimenta; ministro do Supremo Tribunal Federal, Luis Roberto Barroso.

A primeira medida anunciada foi a garantia de uma ajuda de R$ 5,1 mil para as pessoas atingidas pelas inundações. Segundo Costa, o valor será repassado via Pix pela Caixa e a comprovação do direito será feita pelo endereço da pessoa.

Outro medida divulgada pelo governo será a possibilidade de saque de até R$ 6.220 do FGTS para a população em áreas de calamidade. O ministro da Casa Civil afirmou que quem sacou o benefício nas últimas tragédias, a menos de 12 meses, poderá realizar um novo saque.

Costa também disse que o governo antecipará o pagamento do Bolsa Família para o dia 17. Além disso, a União deve incorporar mais de 21 mil famílias do Rio Grande do Sul ao benefício.

O ministro comunicou que desempregados atingidos pela calamidade no RS terão direito a dois meses a mais de seguro-desemprego.

Medidas do governo ao MCMV

Rui Costa também divulgou iniciativas envolvendo o Minha Casa Minha Vida. Entre elas, foi a suspensão por seis meses nos pagamentos de parcelas de imóveis do MCMV nas cidades atingidas. Além disso, novos contratos do programa na região afetada terão carência de 180 dias para início dos pagamentos.

O ministro também afirmou que o governo vai comprar casas para população atingida que se encaixe nos critérios do MCMV 1 (renda bruta familiar mensal até R$ 2.640) e 2 (renda bruta familiar mensal de R$ 2.640,01 a R$ 4.400). O responsável pela operação será a Caixa.

Segundo Costa, governo vai definir teto de preço das casas, baseando-se nos critéros do MCMV. O ministro destacou que Haddad autorizou oferta público, e imobiliárias podem colocar esses imóveis à disposição para venda.

Veja Também