Análise

Capitalização do setor agrícola ganha força em 2023, movimenta mais de R$ 20 bi e cresce 103%

Atualizado 02/05/2024 às 17:50:26

https://www.bomdiamercado.com.br/wp-content/uploads/2024/05/setor-agricola-agricultura-fiagro.jpg

Dados divulgados pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) revelam que os Fundos de Investimento nas Cadeias Produtivas Agroindustriais, conhecidos como Fiagro, apresentaram crescimento de 103% em 2023 e atingiram R$ 21,3 bilhões.

O resultado impressiona por ser 10 vezes maior que os mercados de renda fixa, renda variável e fundos de investimento, com avanço de 11,2% no mesmo período. A CVM considerou as regras provisórias para o produto, criadas em 2021, a partir de três tipos de Fiagro: imobiliário (FIIs), de direitos creditórios (FIDCs), e de participações (FIPs). 

No segundo semestre de 2024, a autarquia deve lançar o Fiagro multimercado dada a representatividade do agronegócio no Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro.

“Com essa mudança na regulamentação da modalidade e a criação do Fiagro multimercado, o novo fundo vai permitir a inclusão de diferentes classes de ativos no portfólio dos Fiagros, ampliando a liberdade dos gestores na composição do portfólio e possibilitando a diversificação em diferentes tipos de ativos do agronegócio, como das agtechs – startups do agronegócio, e do mercado de venture capital”, explica Henrique Galvani, CEO da Arara Seed, primeira plataforma de equity crowdfunding em startups do agronegócio.

Com cenário propício para investimentos no setor, Galvani destaca que cada modalidade oferece um benefício diferente para o ecossistema, confira: 

  • No Fiagro-FII as aplicações são investidas em ativos como terras e propriedades imobiliárias rurais;
  • O Fiagro-FIDC permite que os produtores rurais possam antecipar recursos para manter as operações antes da venda da safra, garantindo a saúde financeira das atividades agropecuárias;
  • Já no Fiagro-FIP os investidores podem se tornar sócios das empresas e participar das decisões e resultados.

Para o executivo, o Fiagro segue impulsionando o desenvolvimento do agronegócio e as vantagens de aplicação nesta modalidade incluem a exposição ao setor agroindustrial brasileiro, diversificação da carteira de investimentos e potencial de retorno financeiro.

“A chegada do Fiagro multimercado vai fomentar ainda mais os ganhos e recursos para o setor, visto que uma popularização de acesso ao agronegócio será inevitável para investidores de dentro e fora das porteiras”, finaliza.

Veja Também