Giro dos Mercados

Fechamento [01/04]: Bolsas caem após PMI dos EUA acima do esperado

Atualizado 01/04/2024 às 17:59:47

https://www.bomdiamercado.com.br/wp-content/uploads/2024/02/edu-giro2.png

[01/04/24] Da Redação do Bom Dia Mercado

As bolsas em Nova York fecharam predominantemente em queda nesta segunda-feira, em dia que dados de atividade industrial dos Estados Unidos provocaram receios sobre quais serão os próximos passos do Federal Reserve. 

O Índice de Gerente de Compras (PMI) industrial americano, medido pelo Institute for Supply Management (ISM), subiu para 50,3 em março, contra 47,8 do mês anterior, acima da projeção de 48,4. Com isso, o indicador atingiu o território de expansão pela primeira vez desde setembro de 2022.

O resultado motivou uma onda de máximas nos rendimentos dos Treasuries, que subiram mais de 10 pontos-base, principalmente na ponta longa. O desempenho também impulsionou os juros futuros no Brasil.

O juro da note de 2 anos subiu a 4,713%, de 4,6231% na 5ªF, o da note de 5 anos avançou a 4,3516% (de 4,2212%) e o da note de 10 anos subiu a 4,324% (de 4,2008%). O juro do T-bond de 30 anos subiu a 4,464% (de 4,3436%).

Após o forte indicador, cresceu o argumento de que o Fed não vai ter pressa para cortar juros, corroborado por falas de Jerome Powell, presidente do BC americano. No feriado da última 6ªF, ele afirmou que os dirigentes não veem como apropriado cortar as taxas de juros até conquistarem confiança de que a inflação americana está em trajetória de queda sustentada para o objetivo de 2%.

Também na 6ªF, o PCE desacelerou para 0,3% em fevereiro, abaixo da previsão de 0,4% e da alta de igual magnitude de janeiro. O núcleo do índice de preços de gastos com consumo subiu 0,3% na margem, em linha com o esperado, perdendo fôlego contra o mês anterior (0,5%). Na base anualizada, o PCE subiu 2,5% e o núcleo, 2,8%, ambos dentro das previsões.

Agora, os traders ficam na expectativa para os dados do mercado de trabalho americano nos próximos dias, com destaque para o payroll na próxima 6ªF.

Os índices acionários de Wall Street fecharam assim:

  • Dow Jones: -0,61% (39.565,79 pontos)
  • S&P 500: -0,20% (5.243,72 pontos)
  • Nasdaq: +0,11% (16.396,83 pontos)

Ibovespa

Por aqui, o Ibovespa acompanhou o ritmo do exterior e também caiu, com ações do setor financeiro entre as maiores baixas do dia, enquanto Petrobras (PETR3; PETR4) subiu, seguindo a alta do petróleo.

As ações de Vale (VALE3) e metálicas também registraram ganhos, com o forte avanço de 4% do minério de ferro negociado em Dalian impulsionando os papéis. O PMI industrial da China avançou para 51,1 em março e superou as projeções.

No câmbio, o dólar seguiu a mesma lógica das bolsas e fechou em alta firme frente aos pares internacionais, com o índice DXY subindo 0,41%, aos 104,977 pontos por volta das 17h. Além disso, a moeda se consolidou acima dos R$ 5.

O Ibovespa fechou em queda de 0,87%, aos 126.990,45 pontos, com volume de R$ 19,8 bilhões. O dólar à vista teve alta de 0,87%, a R$ 5,0591.

(Eduardo Saraiva)

Veja Também