Giro dos Mercados

Dólar sobe e juros caem sob influência externa, de olho no marco fiscal

Atualizado 20/06/2023 às 09:27:45

O dólar volta a subir ante o real, em linha com o desempenho ante emergentes, enquanto frente a pares, é misto, com o DXY perto da estabilidade, em -0,06%, aos 102,457 pontos.

O euro está mais firme, a US$ 1,09334 (+0,11%) apesar do PPI da Alemanha e do economista-chefe do BCE, Philip Lane, se recusar a se comprometer com uma alta de juros além de julho.

O esperado corte de juros na China falhou em aliviar as preocupações. Foi visto como sinal de que os formuladores estão intensificando seus esforços para reviver a recuperação depois que as restrições da Covid foram suspensas no final do ano passado, mas a reação sugere que os mercados não estão impressionados e consideram o tamanho insuficiente, especialmente depois que a reunião também produziu pouco em termos de estímulo fiscal significativo.

Há cautela, especialmente para ações, antes de Jerome Powell testemunhar amanhã, e da fala de John Williams (Fed de NY) , hoje.

Aqui, o foco está no arcabouço fiscal, que tramita no Senado. O Ibovespa futuro cai 0,54%, aos 121.780 pontos. O dólar perdeu há pouco um pouco da força e sobe a R$ 4,7800 (+0,09%), enquanto os juros futuros acompanham os retornos dos Treasuries, cedendo em toda a curva. (Ana Katia)

Veja Também