Câmbio

Dólar ignora exterior e fecha em alta, de olho na questão fiscal após resultado fraco do Governo Central

Atualizado 30/08/2023 às 17:08:38

O dólar ignorou o movimento de queda da moeda no exterior e fechou em alta perante o real, com investidores preocupados com o risco fiscal após o déficit primário do Governo Central alcançar R$ 35,9 bilhões, pior que os R$ 31,9 bilhões esperados. O déficit de julho foi o segundo maior da série histórica. Declarações da ministra Simone Tebet sobre o Orçamento de 2024 também não agradaram. Segundo ela, o governo precisa de R$ 168 bilhões em receitas novas para alcançar a meta resultado primário zero em 2024.

Ela também defendeu uma solução para os precatórios, cujo estoque deve alcançar R$ 100 bilhões no ano que vem. Lá fora, o dólar perdeu terreno frente aos pares após os dados de emprego da ADP e a revisão do PIB do 2º trimestre ficarem abaixo das expectativas, abrindo espaço para o Fed não mexer nos juros em setembro. O dólar à vista fechou em alta de 0,30%, a R$ 4,8692, após oscilar entre R$ 4,8442 e R$ 4,8833. Às 17h02, o dólar futuro para setembro subia 0,25%, para R$ 4,8710. Lá fora, o índice DXY caía 0,32%, para 103,200 pontos. O euro ganhava 0,38%, para US$ 1,0921. E a libra subia 0,57%, para US$ 1,2717. (Téo Takar)

Veja Também