Câmbio

Dólar fecha em alta; IPCA-15 e decisões de juros ajudam na correção após quedas recentes

Atualizado 25/07/2023 às 17:12:58

O dólar à vista começou o dia em queda, diante da expectativa de mais estímulos à economia na China, e chegou a bater nos R$ 4,71 na mínima do dia. Mas o movimento durou pouco.

Ainda pela manhã, passou a subir, numa correção após as quedas recentes, que atraíram compradores. A alta da moeda no exterior e as futuras decisões de juros aqui e lá fora ajudaram nesse ajuste.

Analistas apontam que a perspectiva de mais um aumento de juro pelo Fed amanhã, de 0,25pp, e o início do ciclo de corte na Selic, em agosto, torna o diferencial entre o juro interno e o externo menos favorável, ainda que a taxa brasileira esteja ainda muito alta.

O IPCA-15 de julho, com deflação (-0,07%) maior que a esperada (-0,03%) elevou as chances de um corte maior, de 0,50pp, pelo Copom na próxima semana. A aposta majoritária, contudo, segue em -0,25pp.

No fechamento, o dólar à vista teve alta de 0,36%, a R$ 4,7500, após oscilar entre R$ 4,7186 e R$ 4,7593. O dólar futuro para agosto tinha, há pouco, alta de 0,45%, a R$ 4,7540.

Lá fora, o índice dólar passou a maior parte do dia em alta, mas virou para o negativo à medida que o mercado brasileiro se encaminhava para o fechamento. Às 17h08, o DXY tinha queda de 0,05%, a 101,302 pontos. O euro caía 0,13%, a US$ 1,1050 e a libra esterlina subia 0,61%, a US$ 1,2903. (Ana Conceição)

Veja Também