Morning Call

Copom será com emoção

Atualizado 02/08/2023 às 00:32:41

Por Rosa Riscala e Mariana Ciscato*

[2/8/2023]

… Mais um dado do emprego nos EUA, o relatório ADP com a criação de vagas no setor privado (9h15), será monitorado com toda atenção para projetar o Fed, em uma proxy do payroll (6ªF). No pano de fundo, o cenário global desafiador, com os índices de atividade sinalizando para o risco de recessão, impõe posições defensivas, que derrubam as commodities e puxam o dólar. Aqui, o Copom chega com os mercados divididos sobre a magnitude do corte inicial da Selic. Economistas mantêm expectativa majoritária de uma queda de 25pb, para 13,50% (62 casas de 88, segundo pesquisa Broadcast), enquanto a curva dos juros futuros, embora tenha reduzido a aposta em 50pb, ainda precifica essa possibilidade com 60%. O Banco Central divulga o resultado após as 18h30.

… Trata-se do primeiro Copom com emoção em muito tempo, e o primeiro do qual participarão os dois novos diretores indicados pelo presidente Lula (Gabriel Galípolo e Ailton de Aquino), que, segundo Haddad, estão lá para “arejar” o debate.

… Talvez por isso, mesmo economistas que acreditam em um resultado mais conservador, reconhecem a probabilidade de queda maior hoje. Mas, neste caso, alertam para o perigo de o mercado “ir para cima”, pedindo 75pb em setembro.

… Um consenso seria ideal para evitar ruídos e especulações. Porém, considerando que há, pelo menos, três falcões no colegiado de nove votos, já se pode supor que haverá divergências e que o placar será usado para projetar o ciclo de afrouxamento.

… Neste aspecto, se o BC não quiser confusão, é bastante importante que o comunicado seja bem redigido desta vez, destacando os votos dissidentes e a posição majoritária do Comitê, que deve ser defendida de modo claro e inequívoco.

… Não há dúvidas sobre o espaço para iniciar a queda da Selic, que é sustentado pelo recuo das expectativas futuras de inflação e desaceleração dos núcleos, mas a melhora no balanço de riscos não recomendaria uma largada mais agressiva.

… Para o estrategista-chefe da Warren Rena, Sérgio Goldenstein, a redução de 25pb é mais provável pelos seguintes motivos:

… As projeções de inflação do BC não devem ficar abaixo da meta (3%), o processo de reancoragem das expectativas foi parcial, a inflação de serviços ainda se mostra resiliente e o mercado de trabalho robusto pode limitar uma desinflação mais rápida.

… Para ele, um ajuste inicial de 25pb seria bem mais coerente com a sinalização anterior do Comitê de “cautela e parcimônia” na condução da política monetária e “conteria um excesso de otimismo no mercado de juros”.

… Já o ex-diretor de Assuntos Internacionais do BC Tony Volpon disse em entrevista ao Estadão acreditar que um corte de 50pb da Selic seria o melhor resultado do Copom, “sem risco de a economia sofrer consequência negativa”.

… Para ele, a reunião será importante para entender a visão de Gabriel Galípolo. Visto como “heterodoxo” e mais favorável a aumento de gastos, o economista está cotado para assumir a presidência do BC no lugar de Campos Neto, em 2025.

… “Nunca vimos os heterodoxos tomando conta do BC, não sabemos muito bem quais vão ser os seus comportamentos. Não é uma preocupação, mas uma incerteza racional se isso vai gerar uma mudança substancial no manejo da política monetária.”

… Nesta 3ªF, as dúvidas sobre o que decidirá o Copom levaram a um ajuste em alta das taxas projetadas pelos contratos de curto e médio prazos do DI, embora tenham fechado longe das máximas, quando o mercado reagiu com pessimismo ao exterior.

… O fortalecimento do dólar, que por um triz não bateu R$ 4,80, com os índices PMI fracos na China, Europa e mesmo dos Estados Unidos, pressionou a curva de juros, enquanto o Ibovespa era penalizado pelas quedas de Petrobras e Vale (leia abaixo).

O ESTRANHO DOWNGRADE – Justamente agora que o Fed vem dizendo que uma recessão este ano provavelmente será evitada, a Fitch surpreendeu ontem com o rebaixamento do rating triplo A dos EUA.

… A agência de classificação de risco alegou que, além do perigo de a economia entrar em um período recessivo, os impasses sobre os tetos da dívida e as resoluções de última hora no Congresso motivaram o downgrade.

… A secretária do Tesouro, Janet Yellen, reagiu de imediato. “Discordo veementemente da decisão da Fitch”, classificando a mudança anunciada como “arbitrária” e “baseada em dados desatualizados”.

… Segundo ela, o anúncio da Fitch não muda o que “todo o mundo já sabe: que os títulos do Tesouro continuam sendo o ativo mais líquido e seguro, e que a economia americana é fundamentalmente forte”.

… Para a Casa Branca, o rebaixamento pela agência de risco “desafia a realidade”, em um momento em que o presidente Biden entregou “a recuperação [econômica] mais forte de qualquer grande economia do mundo”.

… A piora da classificação dos EUA causou estranhamento também no mercado.

… Para a consultoria Capital Economics, é “um pouco estranho rebaixar o rating agora que a economia dos EUA parece pronta para realizar o truque de trazer a inflação de volta à meta sem desencadear uma recessão”.

… O guru econômico Mohamed El-Erian disse estar “intrigado” com o anúncio e seu timing. “A grande maioria dos economistas e analistas provavelmente ficará igualmente perplexa com os motivos citados”, disse.

… Para ele, o rebaixamento foi um movimento tão “estranho”, que é muito mais provável que o anúncio seja desconsiderado pelos mercados, em vez de causar um impacto duradouro e disruptivo na economia americana.

AGENDA – Haddad participa ao vivo, às 9h, do programa “Bom dia, ministro”, das TVs e rádios oficiais do governo federal. No fim da tarde, ele se reúne com o senador Otto Alencar (PSD), relator do projeto do Carf.

… O IPC-Fipe (5h) deve seguir perto de zero em julho (+0,02% na mediana das apostas do Broadcast), após ter caído 0,03% em junho. A Fenabrave divulga os emplacamentos de veículos de julho, sem horário determinado.

BALANÇOS – Depois do fechamento dos mercados, saem CSN, CSN Mineração, Dexco, Petrorio, Suzano e Taesa. Lá fora, vêm os resultados do HSBC e Caterpillar, antes da abertura dos negócios, e da AIG, no final da tarde. 

NOS EUA – O relatório da ADP deve apontar a criação de 180 mil vagas de empregos no setor privado em julho, muito menos do que em junho (497 mil), em potencial sinal de moderação da força do mercado de trabalho.

… Os estoques de petróleo do DoE saem às 11h30 e têm previsão de queda de 1,3 milhão de barris. Na noite de ontem, o API estimou recuo bem maior, de 15,4 milhões. O tombo sustentava o petróleo na madrugada (+1%).

REAJUSTE DA PETROBRAS – Entra governo, sai governo e a estatal continua sendo alvo de polêmicas de ingerência sobre os preços dos combustíveis, com a gasolina defasada em 24% e o diesel, em 23% (Abicom).

… Pegou mal ontem no mercado a informação do consultor político da Guide Investimentos, Thomas Traumann, de que Prates foi ao Planalto para informar que reajustaria os preços, mas perdeu a viagem.

… Lula teria ordenado que o presidente da Petrobras “segure [um reajuste] até onde der”.

… Ao Broadcast, Prates disse que está “confortável” com a volatilidade atual e desmentiu os rumores de que pretendia elevar os preços dos combustíveis esta semana, mas teria voltado atrás a pedido do presidente Lula.

… “Pode ser que lá na frente eu tenha que chegar e dizer que vou aumentar, mas não vou aumentar agora”, afirmou Prates, que esteve reunido pela manhã por duas horas com Lula e todos os diretores da Petrobras.

… Segundo ele, o objetivo do encontro não teve nada a ver com os combustíveis. “Foi para falar de investimentos, para arrematar o PAC com todos os nossos diretores, o MME e a Casa Civil”, relatou.

… Prates creditou os boatos sobre a interferência do governo nos preços aos insatisfeitos com a mudança de rumo da Petrobras, que abandonou a política de paridade de importação (PPI), em meados de maio.

… Apesar da defasagem dos valores dos combustíveis aqui na comparação com os preços praticados lá fora, a companhia preferiu só reajustar ontem o querosene de aviação (QVA), em 4,2% nas suas refinarias.

… Envolvidas nos ruídos do dia, as ações ON da estatal chegaram a afundar 4% na mínima, embora tenham desacelerado o ritmo de queda para 2,10% no fechamento, a R$ 34,08. O papel PN perdeu 1,64%, a R$ 30,60.

… Petrobras devolveu, assim, parte do salto próximo de 5% que havia registrado no pregão anterior.

… O petróleo não ajudou, porque abriu agosto realizando o rali de julho. O barril foi prejudicado nesta 3ªF pela alta do dólar e pelos PMIs fracos na China e zona do euro, que apontam uma economia em desaceleração.

… O Brent para outubro caiu 0,60%, a US$ 84,91, mas continua nos maiores níveis em três meses.

… A perspectiva de uma oferta global mais apertada segue no radar. A Opep+ se reúne 6ªF, com expectativa de que os sauditas anunciem a extensão de seu corte voluntário de produção (1 milhão de bpd) por mais um mês.

OUTRAS VILÃS – Além de Petrobras, também a Vale, siderúrgicas e Sabesp impuseram alguma dose de cautela ao Ibovespa, que interrompeu três pregões de alta e caiu 0,57%, aos 121.248,39 pontos, com giro de R$ 23,1 bilhões.

… Na mínima do dia, o índice à vista operou mais de mil pontos abaixo do fechamento, aos 120.153 pontos.

… Apesar das promessas do BC chinês de apoiar o mercado imobiliário do país, o sentimento negativo com o PMI industrial fraco da China pesou para a Vale (-1,39%; R$ 68,20), CSN Mineração (-1,12%) e CSN (ON, -1,01%).

… Sabesp (ON, -4,13%) liderou as perdas do Ibovespa. O modelo de privatização agradou, mas o mercado se ressentiu da incerteza sobre o tamanho da participação que o Estado de São Paulo manterá na empresa.

… Também quer detalhes sobre os direitos de veto/influência específicos (golden share) do governo paulista. 

… Entre os principais bancos, o movimento foi misto. BB (ON, -1,72%) ficou entre as maiores baixas do índice. Bradesco ON registrou -0,34% (R$ 14,80); Bradesco PN, -0,24% (R$ 16,62); e Itaú subiu 0,31% (R$ 28,71).

… Iguatemi unit teve a maior valorização do dia (+2,47%), refletindo o otimismo do mercado sobre o balanço do 2Tri, divulgado após o fechamento. Na véspera do Copom, Magalu subiu 2,39% e Petz registrou alta de 2,14%.

TIRO DE RASPÃO – Agosto começou com o dólar acelerando para quase R$ 4,80, na pressão combinada da alta generalizada da moeda no exterior, do impacto da queda do petróleo sobre real e da cautela antes do Copom.

… O colunista Lauro Jardim, de O Globo, relatou que “um dos principais banqueiros do País” (o nome não foi revelado) defende que o BC surpreenda hoje e baixe logo a Selic em 0,75 pp, em meio ao processo deflacionário.

… Esta, porém, é uma aposta isolada e que causaria uma onda de choque nos mercados. Quanto mais agressivo o Copom for, tanto mais pode afetar o fluxo estrangeiro de moeda, embora a chance de pausa do Fed alivie.

… Na máxima desta 4ªF, o dólar à vista encostou nos R$ 4,80, cotado a R$ 4,7998. Não fechou longe da marca, em alta de 1,27%, a R$ 4,7895. No câmbio futuro, a moeda para setembro subiu 1,45%, a R$ 4,8210.

… As posições compradas defensivas em dólar não conseguiram ser evitadas pelas boas notícias do fluxo comercial, com o melhor superávit para julho da série histórica da balança (US$ 9,035 bilhões).

… Apesar da pressão do dólar e da escalada das taxas dos Treasuries, os juros futuros subitamente reduziram o ritmo de alta à tarde, sem um driver específico que justificasse o movimento, no pregão de véspera do Copom.

… Na agenda dos indicadores do dia, a produção industrial medida pelo IBGE registrou uma surpresa positiva e subiu 0,1% em junho na comparação com maio, contrariando a mediana das expectativas de redução de 0,1%.

… Mas o BofA duvida que a tendência otimista perdure e projeta queda de 0,5% do dado em julho, “em meio às condições de crédito apertadas e altos níveis de estoques, que mantêm alta a incerteza no setor industrial”.

… No fechamento dos negócios, os contratos futuros dos juros subiam até o miolo da curva, enquanto a ponta longo se acomodava perto dos ajustes: jan/29, a 10,520% (de 10,525%); e jan/31, a 10,740% (de 10,760%).

… Apesar de terem interrompido o alívio dos prêmios do pregão anterior, foram moderadas as altas no jan/24, 12,625% (12,570%); jan/25, 10,680% (10,597%); jan/26, 10,110% (10,063%); e jan/27, 10,160% (10,137%).

O COMEÇO DO FIM – O avanço do PMI/S&P Global industrial nos EUA, de 46,3 em junho para 49 em julho, não abalou as apostas muito fortes (85% após o downgrade da Fitch) na ferramenta do CME de que o ciclo de aperto já pode ter acabado.

… O fato de o indicador ter permanecido em contração (abaixo de 50) indica espaço para o Fed não subir o juro.

… Ainda ontem, às vésperas do payroll, o relatório de emprego Jolts apontou para um mercado de trabalho menos apertado e mais equilibrado, com a abertura de novas vagas caindo para 9,582 milhões em junho.

… O resultado ficou abaixo da expectativa de analistas do mercado financeiro, de 9,8 milhões de vagas.

… Powell manda esperar pelos próximos indicadores para dar a palavra final sobre o juro em setembro. Mas o mercado e a ala dovish do Fed já vão se adiantando. Raphael Bostic pediu pausa das altas na próxima reunião.

… Ele não vota este ano, mas pode estar expressando a opinião da corrente menos conservadora. Para Bostic, a desaceleração “significativa” da inflação dá ao BC americano margem para manter os juros na próxima reunião.

… Segundo ele, há crescente risco de que o Fed “faça demais” e prejudique a economia de modo desnecessário.

… Tido também como dirigente de inclinação dovish, o presidente do Fed/Chicago, Austan Goolsbee, disse ontem à Reuters que a inflação de bens retomou a tendência de queda observada antes da pandemia.

… Mas reforçou que ainda precisa ver progresso “sustentável e estável” da inflação rumo à meta de 2%. Sobre uma pausa no Fed de setembro, disse que “depende totalmente se somos capazes de reduzir a inflação sem recessão”.

… Apesar de o PMI dos EUA ter permanecido em território contracionista em julho, o dólar e os juros dos Treasuries subiram, porque o mesmo indicador na zona do euro veio pior: caiu de 43,4 em junho para 42,7.

… Foi o menor em 38 meses, prejudicando o euro (-0,13%; US$ 1,0985). A libra caiu 0,49%, a US$ 1,2781, à espera do BoE, amanhã. O iene perdeu 0,76%, a 143,34/US$, com o PMI fraco também no Japão (49,6).

… O juro da Note-2 anos subiu para 4,912%, de 4,857%, e o de 10 anos superou 4%, a 4,041%, contra 3,951%.

… As bolsas em NY fecharam com variações modestas. O Dow Jones terminou em alta de 0,20%, aos 35.630,68 pontos, o S&P 500 recuou 0,27%, para 4.576,73 pontos; e o Nasdaq caiu 0,43%, a 14.283,91 pontos.

EM TEMPO… CIELO registrou lucro líquido recorrente de R$ 486 milhões no 2TRI, alta de 26,8% na comparação anual; lucro líquido consolidado ficou em R$ 708,5 milhões, avanço de 11,5% em relação ao mesmo trimestre/2022…

… Ebitda somou R$ 1,045 bilhão, 14,3% acima do 2TRI22…

… Empresa aprovou a distribuição de R$ 196,97 milhões em JCP, o equivalente a R$ 0,0730 por ação, com pagamento em 22/8; ex a partir de 9/8.

BTG PACTUAL aprovou distribuição de JCP no valor líquido de R$ 0,1137 por ação ON ou PN e de R$ 0,3412 por unit, com pagamento em 15/8; ex em 7/8.

BANCO DO BRASIL pagou antecipadamente ao Tesouro R$ 1 bilhão referente a saldo do instrumento híbrido de capital e dívida (IHCD).

BRADESCO. Cartão de crédito que a Amazon lançará no Brasil vai ser emitido pela Bradescard. (fontes do Broadcast)

IGUATEMI registrou lucro líquido de R$ 77,3 milhões no 2TRI e reverteu prejuízo do 2TRI22; Ebitda somou R$ 195,5 milhões, alta de 17,3% na comparação anual…

… Grupo ratificou programa de recompra aprovado em 2021; prazo vai até janeiro de 2025.

VULCABRAS registrou lucro líquido de R$ 138,9 milhões no 2TRI, alta de 33,9% na comparação anual; Ebitda somou R$ 169,5 milhões, avanço de 27,1% em relação ao mesmo período de 2022.

BRF e HPDC concluíram joint venture para produção de frangos na Arábia Saudita.

PETROBRAS. Conselho de Administração pediu que a estatal avalie a contratação de assessores para cada um dos 11 conselheiros com salários entre R$ 35 mil e R$ 90 mil. (CNN Brasil)

RAÍZEN pretende investir R$ 1,3 bilhão para modernizar sua usina de Caarapó (MS) e viabilizar a produção de etanol de segunda geração (E2G).

KLABIN aprovou a distribuição de R$ 269 milhões em dividendos, o equivalente a R$ 0,0487 por ação ON e PN e R$ 0,2437 por unit, com pagamento em 15/8; ex a partir de 7/8.

MARCOPOLO teve lucro líquido de R$ 140,5 milhões no 2TRI23, alta de 424% ante o 2TRI22; Ebitda de R$ 158 milhões foi 206,2% maior que o do 2TRI22; receita líquida subiu 18,5% no período, a R$ 1,364 bilhão.

MOVIDA anunciou a recompra, pela Movida Europe, de até US$ 175 milhões em dívida; notes vencem em 2031, com remuneração de 5,25% ao ano.

AOS ASSINANTES DO BDM, BOM DIA E BONS NEGÓCIOS!

*com a colaboração da equipe do BDM Online

AVISO – Bom Dia Mercado, produzido pela Mídia Briefing, não pode ser copiado e/ou redistribuído.

Veja Também