Sem categoria

Com NY fechada, Ibovespa monitora Brasília e fecha em baixa; Pão de Açúcar destoa e sobe quase 10%

Atualizado 04/07/2023 às 17:54:54

Sem a referência de NY devido ao feriado de 4 de julho, o mercado doméstico se voltou para o impasse da agenda de votações em Brasília, o que fez o Ibovespa fechar em baixa de 0,50%, aos 119.076,37 pontos. A ausência dos gringos enxugou a liquidez e o volume financeiro somou apenas R$ 12,5 bilhões, menos da metade de um pregão normal. Após as aprovações pela CAE do Senado das indicações de Gabriel Galípolo e Ailton Aquino para o BC, o mercado se concentrou nos impasses para a votação do projeto do Carf, que trava a pauta da Câmara, e nas negociações sobre a reforma tributária.

Apesar do dia negativo, #PCAR3 destoou do Ibovespa e liderou a lista de maiores altas, com ganho de 9,94%, a R$ 20,35, impulsionada pela possibilidade de o banqueiro colombiano Jaime Gilinsky aumentar a oferta pela fatia da varejista no Grupo Éxito. #MRVE3 ganhou 6,96% (R$ 11,99), após divulgar sua prévia operacional do 2TRI, com números considerados bons pelo mercado. #BRKM5 também se destacou no ranking, subindo 5,35%, a R$ 28,94, com a notícia de que a Novonor encaminhou ontem à Unipar convite para que a empresa dê início ao processo de due dilligence na petroquímica.

Entre as blue chips, #PETR3 registrou +0,24% (R$ 33,75), #PETR4, +0,23% (R$ 30,15) e #VALE3, -0,50% (R$ 65,90). Em realização, #SANB11 se destacou entre as maiores perdas do índice, recuando 2,04%, a R$ 30,77. Outros bancos também fecharam no campo negativo: #BBDC3 (-1,01%; R$ 14,67), #BBAS3 (-0,64%; R$ 50,07), #ITUB4 (-0,62%; R$ 28,78) e #BBDC4 (-0,60%; R$ 16,54). Afetados pela decisão do STF sobre o piso da enfermagem, ativos do setor de saúde ficaram entre as maiores baixas do Ibovespa. #RDOR3 teve queda de 3,67% (R$ 32,25) e #HAPV3 perdeu 2,26% (R$ 4,32). (Igor Giannasi)

Veja Também