Morning Call

Bradesco testa fôlego da bolsa

Atualizado 07/02/2024 às 01:39:03

Por Rosa Riscala e Mariana Ciscato*

[06/02/24]

… Quatro Fed boys falam hoje, enquanto o mercado especula se o juro nos EUA cairá em maio ou junho, porque março já parece descartado. Na China, tem inflação à noite, após Pequim prometer um pacote para impulsionar o consumo. A iniciativa, combinada ao otimismo com a temporada de balanços dos bancos por aqui, recuperou os 130 mil pontos para o Ibov. Com os papéis dos bancos voando na bolsa, o Bradesco divulga, antes da abertura dos negócios, seu resultado trimestral e um amplo plano estratégico. Ainda na agenda do dia, saem o resultado fiscal do setor público consolidado (8h30), as vendas no varejo em dezembro (9h) e a balança comercial (15h). Campos Neto faz palestra em SP (10h). Em Brasília, o desfecho da MP da Reoneração parece estar mais próximo.

… O líder do governo no Congresso, senador Randolfe Rodrigues, disse que até o fim desta semana o governo Lula deve ter uma decisão a respeito do formato do texto. A ideia é fatiar os temas tratados dentro da MP.

… Estuda-se a viabilidade de endereçar separadamente o trecho que trata da reoneração e deixar na MP a proposta que limita compensações tributárias e revoga benefícios do Perse (programa para o setor de eventos).

… Presente ontem à reunião de líderes do Senado com Haddad, Efraim Filho (União Brasil) disse que ficou claro na mesa de negociação que o envio da reoneração por PL é o melhor caminho para pressupor um diálogo.

… Mais cedo, o líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT), havia antecipado que um caminho para viabilizar a tramitação da MP 1.202 seria converter o texto em projeto de lei com urgência constitucional.

… “É a minha opinião pessoal”, disse, acrescentando que Haddad avalia a possibilidade com Lira e Pacheco.

… De última hora, lideranças da Câmara cancelaram nesta 3ªF a participação em reunião que teriam com Haddad, um dia depois de Lira ter subido o tom contra o governo na sessão de abertura do ano legislativo.

… Um novo encontro foi marcado para hoje (14h) e aliados do presidente da Câmara estão decididos a aumentar a pressão e cobrar a manutenção do Perse, que deve custar R$ 4,4 bi aos cofres públicos este ano.

… Além de ser considerado caro, o programa está na mira da equipe econômica por suspeita de fraudes e irregularidades, incluindo lavagem de dinheiro, que pode ter elevado o custo do programa a R$ 32 bi em 2023.

… Ainda hoje à tarde (15h), deputados farão um ato na Câmara, em que será entregue um manifesto pedindo a Pacheco a manutenção do Perse e a devolução da MP de reoneração “autoritária e antidemocrática”.  

… Haddad desconversou ontem, quando questionado sobre o clima de mal-estar depois do discurso duro de Lira na 2ªF, que cobrou “acordos firmados”, disse que o Legislativo não é um “carimbador” e que o Orçamento “é de todos”,

… O ministro da Fazenda disse que “está tudo bem, vai dar tudo certo” e que tudo evolui quando se conversa.

… Em novo desafio para as receitas, o governo federal publicou edição extra do Diário Oficial na noite de ontem elevando o teto da isenção de IR para dois salários mínimos, o equivalente à remuneração mensal de até R$ 2.824.

… A Fazenda estima renúncia de R$ 3,03 bilhões em 2024, R$ 3,53 bilhões em 2025 e R$ 3,77 bilhões em 2026.

… Esse é o segundo aumento da faixa de isenção da cobrança do IR desde o início do governo Lula. Na semana passada, em evento, o presidente reafirmou a promessa de campanha de isentar quem ganha até R$ 5 mil mensais.

… Durante participação em conferência do BTG Pactual nesta 3ªF, Haddad antecipou que janeiro foi um mês surpreendente em termos de arrecadação federal, num sinal de que a economia doméstica segue resiliente.

… No mesmo evento, Campos Neto avaliou que o PIB/1Tri pode surpreender positivamente. O PicPay elevou ontem a projeção de crescimento da economia este ano de 1,3% para 1,8%, acima da mediana do Focus, de 1,6%.

MAIS AGENDA – O pagamento de precatórios da União deve puxar o déficit consolidado do setor público para R$ 124,350 bilhões em dezembro (pesquisa Broadcast), após saldo negativo de R$ 37,270 bilhões em novembro.

… Do lado da atividade econômica, as vendas no varejo restrito em dezembro devem cair 0,2%, na margem; no varejo ampliado, devem subir 0,3% contra novembro, diante do avanço esperado para as vendas de veículos.

… A balança comercial tem previsão de superávit de US$ 7,460 bilhões em janeiro, após US$ 9,360 bi em dezembro.

… A primeira prévia de fevereiro do IPC-Fipe sai às 5h. O Cade retoma hoje (10h) as sessões de julgamentos.

… Além do Bradesco, saem os balanços da Klabin, antes da abertura, e da Alpargatas e Totvs, após o fechamento.

NOS EUA – Falam hoje os dirigentes do Fed Susan Collins, Adriana Kugler e Tom Barkin (13h), além de Michelle Bowman (16h). Na noite de ontem, Patrick Harker destacou os “progressos notáveis” feitos contra a inflação.

… Segundo ele, “ainda precisamos manter os cintos apertados, mas inflação já está perto da meta de 2%”.

… Entre os indicadores, a balança comercial (10h30) deve registrar déficit de US$ 62,2 bi em dezembro. Às 12h30, saem os estoques de petróleo do DoE (+1,3 milhão de barris). Walt Disney solta balanço após o fechamento.

SHOW – Deu tudo certo para o Ibov ontem (+2,21%; 130.416,31), quando reconquistou a marca dos 130 mil pontos, embalado pelo otimismo com três fatores combinados: balanços dos bancos, estímulos na China e alta do petróleo. 

… O volume financeiro de R$ 27,2 bilhões superou a média dos últimos dias.

… Na onda compradora, apenas cinco dos 86 papéis da carteira teórica do índice à vista encerraram o dia em baixa: Embraer (-3,83%), Localiza (-1,95%), Hapvida (-0,78%), Rumo (-0,66%) e Weg (-0,06%).

… Em evento do BTG, em SP, gestores de fundos manifestaram a visão de que, quando os juros das economias desenvolvidas começaram a cair, a bolsa brasileira vai adotar um “comportamento de sardinha” (seguir o fluxo).

… “Este ano, houve retirada substancial de dinheiro do Brasil [o capital externo na B3 está negativo em R$ 9,792 bi em 2024”, disse André Jarkurski (da JGP Asset). “Mas os ativos vão andar quando os juros caírem [lá fora].”

… Rogério Xavier (da SPX Capital) compactua da mesma opinião, de que as economias emergentes como um todo terão melhora a partir dos cortes de juros globais. “O Brasil vai andar com o resto do mundo”, afirmou.

… Na 3ªF, o desempenho do setor financeiro foi embalado pelo robusto resultado trimestral do Itaú Unibanco (+4,29%; R$ 34,79) e pela deslistagem da Cielo (+3,98%; R$ 5,23).

… Na véspera da divulgação de seu balanço, Bradesco PN ficou na vice-liderança das maiores altas, com +6,21%, a R$ 16,60. Bradesco ON ganhou 4,39% (R$ 14,52).

… Banco do Brasil avançou 2,16% (R$ 59,60). Santander unit subiu 2,16%, a R$ 29,76.

… Ainda se destacaram Eletrobras ON (+5,63%; R$ 43,13) e PNB (+4,34%; R$ 47,83). Natura subiu 6,79% (R$ 17,15), repercutindo o anúncio do estudo para separar Natura&Co e Avon em companhias independentes, de capital aberto.

… Vale avançou firme (+1,77%; R$ 66,67), depois de a China prometer uma série de medidas para impulsionar o consumo doméstico de bens este ano, com foco sobre o setor automobilístico e de eletrodomésticos.

… Sobre o imbróglio da troca de comando na mineradora, a empresa respondeu à CVM que avalia tanto a renovação do mandato do atual CEO, Eduardo Bartolomeo, quanto um processo sucessório.

… A companhia lembrou que tem até o fim do mandato de Bartolomeo, em 26 de maio, para decidir a questão.

… Petrobras ON (+1,51%; R$ 42,97) e PN (+0,92%; R$ 41,59) acompanharam a alta do petróleo. O Brent/abril subiu 0,77%, a US$ 78,59 por barril, na ICE. O WTI/março, +0,73%, a US$ 73,71, na Nymex.

… China e a baixa nos juros dos Treasuries queimaram um pouco de prêmio nas taxas dos DIs. A queda do dólar (- 0,39%, a R$ 4,9622), depois de ter testado R$ 5 na véspera, também ajudou a esvaziar a pressão nos juros futuros.

… A ata do Copom, considerada um pouco mais hawkish por alguns analistas, o Focus sem alterações e as declarações de Campos Neto sem novidades no evento do BTG ficaram em segundo plano.

… Marco Caruso (PicPay) viu uma ata neutra, mas observou que o documentou mostrou aumento de discussões sobre o balanço de riscos. “Parecem um pouco mais preocupados com a desinflação a partir daqui”, disse.

… Após a ata, o mercado não mudou a expectativa sobre o ritmo de cortes da Selic, de 50 pb, nas próximas reuniões, e manteve a mediana para o juro terminal em 9%, segundo pesquisa Broadcast.

… No Focus do BC, as estimativas para o IPCA 2024 (3,81%) e 2025 (3,5%) continuaram acima da meta de 3%, e as apostas para a Selic ao fim deste (9,5%) e do próximo ano (8,5%) também não se alteraram.

… A taxa do DI para Jan25 caiu a 9,955% (de 9,979%). O DI Jan26, a 9,670% (de 9,728%). O Jan27, a 9,825% (de 9,898%); o Jan29, a 10,275% (10,331%); o Jan31 cedeu a 10,510% (10,574%) e o Jan33, a 10,620% (de 10,672%).

ANTES TARDE QUE NUNCA – Após Powell negar por duas vezes a chance de um corte de juro em março, ontem foi a vez de mais dois dirigentes do Fed ecoarem a mensagem de que uma flexibilização vem, mas não tão cedo.

… Na força-tarefa de convencer o mercado de que o BC americano tem um timing menos urgente, Loretta Mester (Cleveland) disse que cortar os juros muito cedo ou rapidamente seria um erro.

… Ela admitiu melhora na inflação, mas chamou atenção para a desaceleração mais lenta dos preços dos serviços.

… Analistas ponderaram que Mester destoou de sua tradicional postura hawkish ao dizer que os dirigentes provavelmente ganharão confiança para cortar as taxas “ainda este ano” se a economia evoluir como o esperado.

… Neel Kashkari (Minneapolis) destacou a melhora substancial da inflação, mas também indicou que são necessários mais progressos para pensar em redução de taxas.

… No mercado, porém, ainda há “peixes grandes” que defendem corte de juro em março, ou no mais tardar maio, sob o risco de os EUA entrarem em recessão. É o caso do megainvestidor Bill Ackman (Pershing Square).

… “A atividade e o mercado de trabalho estão enfraquecendo. Temos visto um número significativo de empresas todos os dias anunciando demissão de 3% ou de 5% [da força de trabalho]”, disse, em evento do BTG.

… Em NY, os alertas dos diretores do Fed não impediram um respiro nos rendimentos dos Treasuries depois das fortes altas nas últimas sessões.

… Um dos motivos foi o leilão de US$ 54 bilhões em notes de 3 anos, que atraiu uma demanda forte e teve juro abaixo da média recente (4,169%).

… O resultado gerou expectativas positivas para leilão de US$ 42 bilhões em notes de 10 anos desta 4ªF.

… No fim da tarde, o rendimento da note de 2 anos caiu a 4,403% (de 4,4701%), o da note de 10 anos cedeu a 4,093% (de 4,159%). O do T-bond de 30 anos recuou a 4,299% (de 4,338%).

… Nas bolsas em NY, após passarem a maior parte do dia em direção mista, os índices fecharam em alta modesta.

… O Dow Jones subiu 0,37% (38.521,03 pontos); o S&P 500 teve alta de 0,23% (4.954,23); e o Nasdaq, +0,07% (15.609,00).

… Alvo de preocupação nos últimos dias, a ação do New York Community Bancorp afundou de novo. Desta vez, 22%, para o menor preço em 27 anos (US$ 4,20).

… A baixa na ação do NYCB veio após Janet Yellen (Tesouro) reconhecer que o mercado imobiliário comercial dos EUA é uma fonte de preocupação para os reguladores do sistema bancário.

… “Acredito que é administrável, mas que muitas instituições podem estar sob estresse por conta desse problema.”

… Mester também abordou o tema: disse que mais bancos enfrentarão estresse caso dependam excessivamente de depósitos sem a cobertura de seguros ou tenham exposição elevada ao mercado imobiliário comercial.

… Depois do fechamento, a Moody’s cortou o rating do New York Community Bancorp para Ba2.

… Em linha com os juros dos Treasuries, o dólar devolveu parte da forte alta das últimas sessões, com o índice DXY em queda de 0,22%, a 104,213 pontos.

… O euro ainda foi ajudado pela surpreendente alta de 8,9% nas encomendas à indústria na Alemanha em dezembro ante novembro, contra previsão de queda de 0,3%.

… O dado compensou a baixa de 1,1% nas vendas do varejo na zona do euro, pouco pior que o -1% esperado.

… A moeda comum europeia subiu 0,10%, a US$ 1,0755. A libra avançou 0,49%, a US$ 1,2600, e o iene registrou valorização de 0,53%, a 147,89/US$.

EM TEMPO… PETROBRAS assinou acordo com ANP de pagamento de R$ 832,4 mi; acordo visa encerrar processo de recálculo de participação do governo no campo de Jubarte; valor está provisionado no balanço do 3TRI23.

PRIO produziu 95.583 mil boe/dia em janeiro, queda de 5,36% contra dezembro.

3R PETROLEUM informou que o Goldman Sachs atingiu participação de 8% do capital.

CIELO. Controladores protocolaram pedido de registro de oferta de aquisição de ações (OPA); laudo de avaliação estimou valor por ação entre R$ 4,88 e R$ 5,36.

TIM registrou lucro líquido normalizado de R$ 900 milhões no 4TRI, alta de 52,6% na comparação anual; Ebitda normalizado somou R$ 3,150 bilhões, crescimento de 7,5% no mesmo intervalo…

… Empresa divulgou projeções para o plano estratégico de 2024 a 2026 e prevê crescimento da receita de serviços entre 5% e 7% em 2024…

… Companhia estima expansão do Ebitda na ordem de 7% a 9% em 2024; investimentos previstos para este ano são de R$ 4,4 bilhões a R$ 4,6 bilhões.

EQUATORIAL. Capital World Investors (CWI) elevou participação na empresa de 4,967% para 5,216% do total de ações ON, o equivalente a 59.838.743 de papéis do tipo.

TAESA obteve licença prévia para instalações da Tangará Transmissora.

GAFISA. Esh Theta atingiu participação total de 6.978.274 de ações da companhia, o equivalente a 10,07% do capital social da empresa.

LOG COMMERCIAL PROPERTIES registrou lucro líquido de R$ 73,3 milhões no 4TRI, aumento de 64% na comparação anual; Ebitda somou R$ 63,5 milhões, queda de 33,2% em relação ao mesmo período de 2022.

BANCO SAFRA anunciou a compra da Guide Investimentos.

AOS ASSINANTES DO BDM, BOM DIA E BONS NEGÓCIOS!

*com a colaboração da equipe do BDM Online

AVISO – Bom Dia Mercado, produzido pela Mídia Briefing, não pode ser copiado e/ou redistribuído.

Veja Também