Morning Call

BCE pode confirmar pivô dovish do Fed

Atualizado 14/12/2023 às 02:41:55

Por Rosa Riscala e Mariana Ciscato*

[14/12/23]

… Depois do Fed dovish, que levou os mercados globais à euforia nesta 4ªF, o BCE e o BoE anunciam, hoje, a decisão para os juros na zona do euro (10h15) e no Reino Unido (9h). Nos dois casos, a expectativa é de manutenção das taxas, mas com uma mensagem ainda cautelosa, que tentará conter um excesso de otimismo sobre o timing das quedas, como fez Powell, ontem, sem sucesso. Especialmente o BCE, ou Lagarde (10h45), terá que admitir a forte desinflação no bloco, que já leva as instituições a anteciparem o início dos cortes para abril. Isso tenderia a consolidar o sentimento de que os grandes BCs estão na direção de aliviar a carga da política monetária. Se o cenário se confirmar, o Copom, que saiu na frente no aumento do juro, acabará sendo o último em seu conservadorismo.

… Embora tenha citado um ambiente externo “menos adverso”, o comunicado do Copom apenas trocou “a resiliência da inflação” lá fora por “sinais incipientes” de queda, um ajuste de texto longe das novas projeções do Fomc para o núcleo do PCE.

… No gráfico de pontos, o comunicado do Fed reduziu as estimativas da inflação deste ano de 5,6% para 5,4%; para 2024, de 5,1% para 4,6%; e para 2025, de 3,9% para 3,6%. Junto com a projeção de queda dos juros, esses dados causaram forte empolgação.

… A cereja do bolo foi a declaração de Powell confirmando que os dirigentes do Fomc começaram a discutir os cortes do juro e que este será o tema das próximas reuniões. Os yields dos Treasuries derreteram com o dólar, enquanto as bolsas voaram.

… O entusiasmo contagiou os ativos domésticos a poucas horas do Copom, enquanto a curva de juros futuros passou a precificar chances maiores de o Banco Central sinalizar a possibilidade de acelerar o ritmo de quedas da Selic para 75pbs (leia abaixo).

… O Copom, no entanto, jogou um balde de água fria nessas apostas de última hora, afirmando que a dose de 0,50pp é adequada para a convergência da inflação às metas. Reduziu a Selic para 11,75% e contratou novos cortes (no plural) da mesma magnitude.

… Se o cenário externo está melhor do que “menos adverso”, com o mercado em NY antecipando para março o desaperto, se a economia está desacelerando e a trajetória da desinflação se mantém, o que teria motivado o Copom a optar pela mensagem mais hawk?

… Se é o fiscal, deu espaço mínimo no comunicado, limitando o alerta a uma frase, na qual destacou a importância de perseguir as metas.

… Mas, e se as medidas de arrecadação, que travam luta decisiva esta semana no Congresso forem aprovadas? Apesar das dificuldades, o ministro Fernando Haddad vem conseguindo avançar com as propostas, entre concessões e negociações políticas.

… Se o desafio for vencido, é possível que o Copom se veja novamente desafiado a baixar a Selic mais depressa do que está prometendo.

… Por isso, o Copom hawk poderá conseguir hoje um ajuste apenas relativo no trecho mais curto dos juros futuros, que devem continuar colados aos Treasuries americanos. Resumindo, o comunicado do Copom pode envelhecer antes mesmo de sair a ata.

… Quem gostou do tom mais firme, diz que o Copom não se dobrou às pressões políticas, mas faz algum tempo o BC não precisa provar que é independente. Já tem dois indicados por Lula e a votação foi unânime. Ou eles acertaram juntos, ou erraram juntos.

QUE DEUS A TENHA – Um estudo da Consultoria de Orçamento e Fiscalização da Câmara, ao qual o Estadão teve acesso, indica que a LDO inviabiliza o objetivo da equipe econômica de zerar a meta do déficit nas contas públicas no ano que vem.

… O texto final do relator, deputado Danilo Forte (União), selou esse desfecho – que já era esperado pelo mercado – ao incluir dispositivo que limita o bloqueio preventivo de despesas a R$ 22,3 bilhões no Orçamento do ano que vem.

… Em seu parecer, Forte ampliou as despesas que não podem ser contingenciadas. Do total de R$ 225,8 bilhões passíveis de bloqueio, ele criou ressalvas sobre 90% delas (R$ 203 bilhões). Dessa forma, cedeu às pressões após ter rejeitado a emenda Randolfe.

… A nota técnica da Câmara sublinha que o bloqueio de despesas tem como objetivo o cumprimento da meta fiscal, estabelecida em zero pelo ministro Fernando Haddad, e que “sem o instrumento, o governo não tem chance de alcançar a meta”.

… O estudo afirma que o texto da LDO não é compatível com a Lei de Responsabilidade Fiscal e o Arcabouço, na medida em que afasta a exigência do cumprimento da meta – “uma situação que pode provocar questionamentos a respeito da execução do Orçamento”.

… Forte nega que tenho cedido à ala pró-gasto do Planalto e diz que o governo pode adotar o contingenciamento que quiser. “A emenda remete ao governo a possibilidade de contingenciar R$ 23 bilhões, R$ 56 bilhões, zero ou mudar a meta fiscal.”

… Para alcançar a meta zero, o governo teria de fazer um contingenciamento mínimo de R$ 56 bilhões, segundo os técnicos da Câmara, o que afetaria projetos como o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e o Minha Casa, Minha Vida.

… O compromisso firmado por Haddad está sob forte bombardeio do PT e do próprio presidente Lula, que ainda nesta semana disse que não via problema em aumentar o endividamento público para fazer o País crescer.

… O mercado acompanha essa briga confiando que é importante Haddad não desistir do compromisso fiscal.

… Aprovada na Comissão Mista de Orçamento (CMO), a LDO pode ser incluída para votação em plenário na sessão de hoje do Congresso, que também deve analisar os vetos presidenciais, incluindo os vetos ao arcabouço fiscal, ao Carf e à folha de pagamentos.

… Na última hora, o relator fez ainda um acordo com o governo e permitiu que os investimentos das estatais no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), em um valor de R$ 5 bilhões, fiquem fora da meta fiscal.

… O deputado também deixou o seguro rural fora do contingenciamento de verbas.

… Em contrapartida, a LDO determinou um calendário para o governo empenhar os recursos das emendas individuais e de bancadas estaduais. Ambas são impositivas, mas o Planalto controlava as liberações.

… O projeto prevê o valor recorde de R$ 48,8 bilhões em emendas para 2024, levando em conta também as que não são obrigatórias.

… A LDO serve de base para a Lei Orçamentária Anual (LOA), que também deve ser votada pela CMO e pelo plenário do Congresso.

TEM JABUTI NA SUBVENÇÃO – O relatório da MP da subvenção do ICMS, apresentado nesta 4ªF pelo deputado Luiz Fernando Faria (PSD), incluiu “jabutis” que alteram a lei que modificou a tributação das offshores, sancionada pelo presidente Lula.

… Um artigo incluído na Medida Provisória permite que pessoas físicas com offshore fora de paraísos fiscais – e que tenham renda ativa própria acima de 60% do total – optem pela tributação automática dos lucros em 31 de dezembro de cada ano.

… A lei original prevê que apenas offshores em paraíso fiscal, e que não produzem riqueza própria, teriam de pagar todos os anos IR sobre os lucros gerados, mesmo que não tenham sido enviados recursos para a pessoa física no Brasil.

… A MP permite que offshores fora do paraíso fiscal também possam optar pelo regime de tributação automático.

… O relatório também altera outros pontos da lei das offshores. No caso dos fundos que investem em outros fundos, e que mantêm esse investimento controlado numa subconta, o texto deixa claro que o IR de 15% só será devido na venda das quotas.

… O parecer ainda permite que esses fundos investidores não tributem Juros Sobre Capital Próprio (JCP) e dividendos recebidos das investidas, desde que reinvestidos conforme regulamentação da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

REFORMA TRIBUTÁRIA – Vive um impasse entre Câmara e Senado, com os senadores ameaçando não promulgar a PEC se os dispositivos incluídos por eles, como a Cide da Zona Franca de Manaus, forem excluídos pelos deputados.

… Lira quer suprimir pontos com os quais os deputados não concordam, mas o relator no Senado, Eduardo Braga (MDB), protesta contra a tentativa de fatiamento da matéria, que permitiria a promulgação ainda neste ano. 

… A decisão caberá ao presidente do Congresso, Rodrigo Pacheco, que se reuniu com Lira nesta 4ªF para tentar um acordo, mas o Valor apurou que o encontro não foi conclusivo. Haddad defende o fatiamento e diz que a espinha dorsal da reforma está acordada.

DINO – Por margem apertada de votos no plenário (47 a favor x 31 contra), o ex-ministro da Justiça foi aprovado para o Supremo pelo Senado. O subprocurador-geral Paulo Gonet será o novo PGR. Teve 65 votos contra 11.

AGENDA – O IBGE divulga às 9h as vendas no varejo em outubro. Pelo conceito restrito (sem automóveis e material de construção), o indicador deve ter crescimento de 0,3%, após avanço de 0,6% em setembro.

… Ainda na mediana de pesquisa Broadcast, o varejo ampliado indica +0,2%, mesma variação do mês anterior.

… Com atraso de um dia por conta da operação-padrão no BC, o fluxo cambial semanal sai às 14h30.

… Haddad fala, às 9h30, na abertura do evento Trilha Financeira do G20. Ontem à noite, horas após o Copom, o ministro disse que a sinalização de novos cortes de juro prepara o terreno para crescimento mais sustentável.

LÁ FORA – No day after do Fed, a agenda dos indicadores nos EUA prevê o auxílio-desemprego, com previsão de alta de 4 mil pedidos, para 224 mil, e as vendas no varejo, que devem cair 0,2% em novembro. Ambos saem às 10h30.

… Yellen (Tesouro) preside, às 18h15, a reunião do Conselho de Supervisão de Estabilidade Financeira.

… Logo cedo (6h), a AIE solta seu relatório mensal de petróleo. Os BCs do México (16h) e Peru (sem horário) decidem juro. No fim da noite (23h), são importantes na China a produção industrial e as vendas no varejo em novembro.

O QUE SE LÊ NÃO SE ESCREVE – Cheio de pontas soltas e justificativas pouco convincentes para defender cortes de -0,5pp, o comunicado do Copom pode levar o mercado a “ir para cima” do BC e pressionar por 0,75pp.

… O recado conservador pode ter prazo de validade e logo deve ser desafiado, especialmente se o cenário externo continuar progredindo, agora que os juros dos Treasuries já não explodem. Pelo contrário, derretem.

… Pelo comunicado, o Fed e o Copom parecem estar vivendo em planetas diferentes. Enquanto Powell fala X, o BC aqui diz Y, na incongruência que não passa despercebida. O investidor não vai deixar de cobrar coerência.

… Se dá para relativizar o texto do Copom, é possível que sim. Para Alexandre de Ázara (UBS BB), o BC pode acelerar o corte de juros em março e levar Selic a 8% em 2024 com a inflação menor e corte de juro nos EUA.

… Também o BNP Paribas não descarta Selic terminal na casa de 8% com os juros globais acalmando.

… O Barclays aposta em 9,5% no fim do ciclo, mas reconhece que a melhora externa pode bancar aposta em -0,75pp. Também o Citi, que espera 10%, admite chance crescente de o BC acelerar a queda, após o Fed dovish.

… A sorte está lançada e o comunicado do Copom não só não comunicou, como não está escrito em pedra.  

… O BC baixou as projeções oficiais de inflação, mas o ajuste ficou a desejar. As estimativas para o IPCA deste ano (de 4,7% para 4,6%) e do ano que vem (3,6% para 3,5%) tiveram alívio de apenas 10 pontos-base.

… Para a economista Andrea Damico (da Armor Capital), o BC tinha o dobro de espaço (20 pb) para reduzir as previsões. Para 2025, que ganha espaço no horizonte de política monetária, a projeção do BC seguiu em 3,2%.

… Se o DI resolver “peitar” o BC sobre doses maiores de cortes da Selic à frente, a curva pouco deve corrigir  tudo o que afundou ontem com o Fed e pode até mesmo começar a projetar juro abaixo de 9% no fim do ciclo.  

… No fechamento, o DI para jan/25 caiu a 10,070% (de 10,253% na véspera); o jan/26, a 9,620% (9,894%); jan/27, a 9,705% (10,00%); jan/29, a 10,190% (10,452%); jan/31, a 10,480% (10,734%); e o jan/33, a 10,620% (10,871%).

… No câmbio, o dólar acompanhou a queda em escala global com o Fed e fechou cotado a R$ 4,9208 (-0,92%).

SEDE DE RALI – Powell deu o start para o Ibovespa voltar a sonhar com a escalada de última hora para perto do topo histórico de 130.776 pontos. Se NY seguir firme hoje, nem a decepção do Copom pode melar esta festa.

… Neste sentido, é capaz de o índice à vista da bolsa doméstica atropelar uma realização de lucros na abertura, depois de ter saltado 2,42% ontem e cruzado a marca dos 129 mil pontos (129.465,00) no fechamento.

… No pico intraday (129.793,35), flertou com a pontuação dos 130 mil. O volume financeiro extraordinário negociado ontem na bolsa, de R$ 60,6 bilhões, foi turbinado pelo vencimento de opções sobre o índice.

… O entusiasmo foi tanto nos negócios, que apenas quatro das quatro das 86 ações da carteira Ibovespa fecharam no campo negativo: SLC Agrícola (-0,82%), IRB (-0,76%), BB Seguridade (-0,51%) e EzTec (-0,27%).

… Os bancos correram livres no otimismo: Bradesco ON (+3,46%; R$ 14,96), Bradesco PN (+4,37%; R$ 16,96), Santander unit (+3,18%; R$ 31,75) e Itaú (+3,03%; R$ 32,60). BB foi bem, mas subiu menos: 0,91%, a R$ 52,98.

… Surfando na onda do alívio dos juros futuros, as ações ligadas ao consumo se destacaram. O maior ganho do dia foi de Magalu (+10,96%, a R$ 2,53), seguida por Hapvida (ON, +8,67%, a R$ 4,51) e MRV (+8,23%; R$ 10,39).

… De carona no petróleo, Petrobras ON ganhou 1,33% (R$ 36,47) e PN, +1,44% (R$ 34,57). Lá fora, os estoques mais baixos da commodity nos EUA e o dólar fraco com Powell puxaram o Brent/fev (+1,37%) para US$ 74,24.

… Já o minério de ferro caiu 1,35%, após conferência econômica anual do Partido Comunista, com presença de Xi Jinping, terminar sem anúncio de estímulos econômicos. Mas Vale se segurou estável (+0,01%; R$ 73,00).

… Mesmo com a valorização do petróleo, as ações da Gol dispararam 7,52%. Segundo analistas no Broadcast, os papéis foram amparados pelo início da renegociação dos contratos de locação financeira (leasing) da empresa.

SEM MEIAS PALAVRAS – Meio diferente do seu estilo habitual, Powell veio muito direto, avisando que as discussões preliminares sobre cortes de juro já começaram dentro do Fed. NY vibrou e levou o mundo todo a vibrar junto.

… Antes mesmo de Powell falar, a empolgação dovish já era garantida pelo gráfico de pontos, mostrando que 15 dos 19 dirigentes do BC americano esperam que a taxa básica caia três vezes em 2024, para a faixa de 4,25% a 5%.

… No comunicado do Fed, todos os indicadores apontaram favoravelmente para o início antecipado das quedas do juro nos EUA. O texto citou a desaceleração da atividade econômica, da inflação e a alta do desemprego.

… No CME, disparou a aposta (76,1%, contra 41,3% antes de Powell) de que o ciclo de relaxamento comece dois meses mais cedo, em março, e mais do que dobrou (35,4%) a precificação de que o juro vai cair 150pb no total.

… Rolou aquela festa no mercado: o Dow Jones rompeu a máxima histórica e fechou acima de 37 mil pontos pela primeira vez, a taxa da Note-10 anos veio abaixo de 4% no intraday e o DXY furou a linha dos 103 pontos.

… Surpreendeu que Powell não tenha, desta vez, insistido na eventual necessidade de uma alta adicional do juro. Se ele não guardou esta carta na manga para usar, caso tudo dê errado, o investidor é que não faria qualquer hedge.

… Foi para o risco. No menor nível desde junho, o yield da Note-2 anos caiu para 4,441%, de 4,718% na véspera, e o de 10 anos despencou para 4,019%, contra 4,199% no dia anterior, alcançando o patamar mais baixo desde agosto.

… No recorde de todos os tempos, o Dow Jones subiu 1,40%, aos 37.090,24 pontos, enquanto o S&P 500 (+1,37%, aos 4.707,09 pontos) e o Nasdaq (+1,38%, aos 14.733,96 pontos) atingiram as melhores marcas em quase um ano.

… Com Powell vindo do jeito que veio, só deu para apostar contra o dólar: DXY afundou 0,96% (102,869 pontos). Na véspera do BCE e BoE, o euro subiu 0,76% (US$ 1,0882), a libra, +0,46% (US$ 1,2624), e o iene, +1,64% (143,14/US$).

EM TEMPO… PETRORECÔNCAVO anunciou parada temporária de parte da produção de petróleo e gás natural no Rio Grande do Norte; pausa foi atribuída à impossibilidade de recebimento da produção de Guamaré (AIG)…

… Companhia teve produção média de 25,9 mil barris de óleo equivalente por dia (boed) em novembro, queda de 5,2% ante outubro e de 7,4% sobre a média do 3TRI.

ALPARGATAS. Conselho elegeu Liel Miranda como presidente, com mandato a partir de 1º de fevereiro de 2024; executivo vai suceder o atual presidente interino, Luiz Fernando Edmond, que seguirá como membro do colegiado…

… Citi reiterou recomendação neutra para a ação da empresa, com preço-alvo de R$ 8,70…

… Ao comentar anúncio do novo CEO da companhia, banco disse que empresa precisa reduzir seu complexo portfólio de produtos e revisar estruturalmente planejamento de vendas e operações.

ITAÚSA aprovou a distribuição de JCP no valor bruto de R$ 820 milhões, o equivalente a R$ 0,0794 por ação, com pagamento até 30/12/24.

BANCO DO BRASIL. Bradesco BBI rebaixou recomendação do BB de compra para neutra e reduziu preço-alvo de R$ 60 para R$ 59…

… Para o BBI, um dos principais riscos é o Banco Patagônia, filial do BB na Argentina, cujos resultados nos últimos anos foram impulsionados por “distorções macroeconômicas”.

CPFL. Citi elevou preço-alvo da ação da empresa de R$ 34 para R$ 35, mantendo recomendação neutra…

… Banco disse que segmento de distribuição está em ótima posição e que algumas empresas, incluindo a CPFL, conseguiram superar importantes métricas regulatórias.

ELETROBRAS. Citi reduziu preço-alvo da ação ON de R$ 51 para R$ 50 e da ação PNB de R$ 57 para R$ 55, mantendo recomendação de compra para ambas…

… Ajuste refletiu uma atualização do modelo da companhia, considerando os resultados do 3TRI e consolidação das usinas hidrelétricas Teles Pires, Baguari e Retiro Baixo.

REDE D’OR aprovou distribuição de R$ 416,288 milhões em JCP, o equivalente a R$ 0,1846 por ação, com pagamento em 28/12; ex em 19/12…

… Companhia aprovou 32ª emissão de debêntures, no valor de R$ 750 milhões.

DEXCO aprovou a distribuição de R$ 174 milhões em JCP, o equivalente a R$ 0,2153 por ação, com pagamento até 31/12/24; ex em 20/12/23.

AOS ASSINANTES DO BDM, BOM DIA E BONS NEGÓCIOS!

*com a colaboração da equipe do BDM Online

AVISO – Bom Dia Mercado, produzido pela Mídia Briefing, não pode ser copiado e/ou redistribuído.

Veja Também