Morning Call

Ata do Copom vem alinhada com Fed mais cauteloso

Atualizado 06/02/2024 às 07:18:18

Por Rosa Riscala e Mariana Ciscato*

[06/02/24]

… Mais quatro Fed boys têm falas previstas para hoje, três deles com o mercado aberto, e devem reforçar a mensagem de Jay Powell que esvaziou as apostas de corte do juro em março e colocou maio em dúvida. Já nesta 2ªF, dirigentes do BC dos EUA foram nesta direção, precipitando ajustes das posições mais otimistas. As novas perspectivas do cenário externo fortalecem argumentos da ata do Copom, que será divulgada às 8h, confirmando o ritmo mais cauteloso do ciclo de quedas da Selic. Campos Neto (9h) e Haddad (9h40) participam de evento do BTG Pactual, enquanto o Ibovespa repercute o balanço em linha de Itaú, que cedeu 0,58% no after hours em NY. Já a bronca de Lira na reabertura do Congresso não deve assustar, à medida que tanto ele como Lula mostram disposição para o diálogo.

… O presidente da Câmara foi ostensivo ao manifestar a insatisfação com o governo, após o presidente ter vetado os R$ 5,6 bilhões em emendas, no mês passado. Comentaristas de política foram unânimes em avaliar que Lira mandou um “recado” para Lula.

… O que também está todo mundo dizendo é que Lira quer ver Padilha pelas costas, porque culpa o ministro das Relações Institucionais de não cumprir os acordos firmados. “Não faltamos ao governo e esperamos respeito e compromisso com a palavra dada.”

… Ainda segundo Lira, “o Orçamento não é do Executivo, é de todos”.

… Ao mesmo tempo, garantiu que “vai errar grosseiramente” quem apostar que a Casa negligenciará o seu trabalho. Citou como “agenda prioritária” deste ano a regulamentação da reforma tributária, a discussão da reforma administrativa e o avanço da pauta verde.

… Já Lula enviou mensagem os deputados e senadores (lida por Rui Costa) pedindo diálogo: “É condição necessária para a democracia”.

… Segundo apurou o Globo, o presidente avalia recompor parte do veto de R$ 5,6 bilhões em emendas de comissão, diretamente para os ministérios. Dessa forma, não haveria indicação oficial de parlamentares sobre essas verbas.

… O Planejamento ainda faz as contas para saber quanto será possível recompor. O resultado sai até o fim do mês. O formato deverá ser proposto em um projeto de lei enviado ao Congresso Nacional, com rubricas sugeridas pelo Executivo.

… A reposição seria diretamente para políticas públicas como Farmácia Popular e Auxílio Gás, que ficaram prejudicadas pelo corte.

… O que se pode esperar, portanto, é que eles se entendam, que não haverá retaliação se houver negociação e negociar é a arte de Lula. Mesmo porque o governo tem uma base muito fraca e não consegue aprovar nada sem o Centrão.

… Para Haddad, Lira emitiu um sinal de alerta ao criticar as tentativas do governo de reverter decisões do Congresso, caso da desoneração da folha. “Vamos aprovar o que for importante para o País, mas não permitimos revisar matérias chanceladas pelo Congresso.”

… Isso significa que a meta de zerar o déficit em 2024 continua em xeque e que uma revisão se mantém no radar.

… A importância de “persecução da meta” voltou a ser defendida no comunicado do Copom e, certamente, estará na ata do Copom junto com as incertezas fiscais e do cenário externo, que atualizam os argumentos de cautela no processo de flexibilização monetária.

… Nesta 2ªF, quando o mercado repercutiu a entrevista de Powell, validadas por novas declarações de dirigentes do Fed, os juros futuros na B3 acompanharam a pressão nos Treasuries e o dólar chegou a romper os R$ 5 no intraday, enquanto o Ibovespa caía.

… Indicadores recentes confirmam a força da economia dos Estados Unidos, levando o mercado em NY a considerar o “no landing” como cenário alternativo, o que poderia levar o Fomc a postergar o início da queda dos juros para o segundo semestre.

… Para o Goldman Sachs, está maior a probabilidade de que o início do corte de juros nos EUA ocorra depois de maio. “Powell sugeriu que o momento provável para a primeira redução da taxa de juros seria no meio do ano, alguns meses antes da eleição”.

… A entrevista de Powell, transmitida neste domingo pela CBS, foi gravada na 5ªF, um dia antes de o payroll superar as expectativas.

… No ajuste de posições, as bolsas em Wall Street registraram quedas, o índice DXY do dólar chegou a superar 104,500 e a Note-2 anos, que melhor reflete as expectativas para a política monetária, atingiu máxima de 4,49%.

… O movimento de correção se acomodou no período da tarde, com as taxas do DI perto dos ajustes de 6ªF, o dólar abaixo da marca dos R$ 5 e o Ibovespa passando para o positivo, impulsionado por Petrobras e pelas ações dos bancos (leia abaixo).

ITAÚ – Veio em linha com o esperado o lucro líquido de R$ 9,4 bilhões no 4Tri/23, com crescimento de 22,6% em relação ao 4Tri/22 e de 4% na margem, sobre o 3Tri/23. No ano passado, o lucro do Itaú atingiu R$ 35,6 bilhões, aumento de 15,7% sobre 2022.

… As boas notícias ficaram com a inadimplência, que teve queda nos índices e fechou o ano em 2,8%, e com as receitas da prestação de serviços, puxadas pelo segmento de cartões, que somaram R$ 11,2 bilhões em 2023, alta de 7,4% sobre 2022.

… O Itaú também abriu um novo programa de recompra de ações (75 milhões de PN), além de ter anunciado R$ 11 bilhões em dividendos adicionais para os acionistas que, somados a juros sobre o capital próprio (JCP) já declarados, elevaram a distribuição a 60%.

… O banco distribuirá R$ 1,1251/ação com pagamento em 8/3 (EX em 22/2) e pagará, também, na mesma data os JCPs já declarados, nos valores de R$ 0,2693 brutos por ação (base de 18/09/23) e R$ 0,24724 brutos por ação (base de 06/12/23).

… Leia abaixo no Em tempo… o anúncio da OPA para Cielo.

MAIS ATA – Embora o comunicado do Copom tenha vindo praticamente sem novidades em relação ao anterior, economistas do mercado esperam mais detalhes sobre o fiscal, a projeção para a inflação de 2025 e o mercado de trabalho na ata de hoje.

… Segundo levantamento do Broadcast, os economistas também buscarão sinais de alguma manifestação dos novos diretores, Rodrigo Teixeira e Paulo Picchetti. A reunião de janeiro foi a primeira com a participação dos novos membros.

… De antemão, porém, o placar unânime da votação já é um fator de tranquilidade e de alinhamento do Comitê.

… Após o Copom, a ampla maioria do mercado (79%), segundo pesquisa do AE Projeções, prevê a manutenção dos cortes de 0,50pp nas três próximas decisões, entre fevereiro e junho. A mediana para a Selic no fim do ciclo de cortes permanece em 9,0%.

REONERAÇÃO DA FOLHA – Líderes do Congresso se reunirão hoje com o ministro Fernando Haddad (16h30) para debater nova proposta de reoneração da folha que a Fazenda pretende enviar por meio de um projeto de lei, desistindo da MP 1.202.

… Ao Valor, o líder do governo no Congresso, senador Randolfe Rodrigues, explicou que o governo está disposto a adotar a iniciativa que confirma o acordo entre o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, e o ministro da Fazenda, firmado em 15 de janeiro.

… Ao Estadão, o secretário de Política Econômica, Guilherme Mello, disse que há disposição de negociar um novo modelo de desoneração com o Congresso, desde que alguma medida compense o gasto tributário, fundamental para perseguir a meta de déficit zero.

… Segundo ele, a desoneração pode até custar mais do que os R$ 6 bilhões da proposta da Fazenda, aproximando-se dos R$ 9 bilhões da política atual. “Para nós, o mais fundamental é que o princípio da neutralidade fiscal desse benefício seja respeitado.”

MAIS AGENDA – Além da ata do Copom, o mercado acompanha o relatório Focus (8h25) e o IGP-DI de janeiro (8h), que deve trazer taxa negativa. A estimativa é de deflação de 0,10% na mediana, com projeções entre -0,27% (piso) e 0,12% (teto).

… Nesta 2ªF, o Bradesco Asset cortou a previsão para o IPCA de 2024, de 4,0% para 3,7%, e manteve a de 2025 em 4%.

… Às 8h30, o Banco Central divulga a nota de crédito de dezembro. Em novembro, o estoque de crédito somou R$ 5,65 trilhões, enquanto as concessões atingiram R$ 492,8 bilhões e a inadimplência média ficou em 4,8%.

LÁ FORA – A agenda de indicadores é mais fraca, com a decisão do BC da Austrália de manter o juro em 4,35%, no início da madrugada.

… A Alemanha divulga encomendas à indústria (4h) e a zona do euro, as vendas no varejo (7h), ambas de dezembro.

… Nos EUA, Loretta Mester (Fed/Cleveland) fala às 14h; Neel Kashkari (Fed/Minneapolis), às 15h; e Susan Collins (Fed/Boston), às 16h. À noite (21h de Brasília), o presidente do Fed/Philadelphia, Patrick Harker, discursa no Rowan Institute for Public Policy & Citizenship.

… Em Taiwan, um feriado manteve os mercados fechados nesta 3ªF.

BALANÇOS – BP (Reino Unido) reporta resultado antes da abertura; após o fechamento saem UBS (Suíça) e Ford (EUA).

… Aqui, também após o fechamento, tem TIM Brasil, com expectativa de lucro líquido de R$ 847 milhões e Ebitda de R$ 3,156 bilhões.

GOLPE DUPLO – Powell repetiu no domingo à CBS News o que todo mundo já sabia, mas o fato de mais um indicador apontar, ontem, que a economia dos EUA segue bem, obrigado, deu mais peso às palavras do presidente do Fed.

… O resultado: juros dos Treasuries em nova disparada, bolsas em queda, dólar em alta.

… No meio da tarde as perdas arrefeceram nas bolsas por causa do avanço das techs, mas não o suficiente para colocar os índices no azul.

… Na mesma direção de Powell, Neel Kashkari (Minneapolis) escreveu em um artigo que o Fed “tem tempo” antes de pensar em aliviar os juros. Austan Goolsbee (Chicago) reiterou que gostaria de ver mais dados favoráveis de inflação antes de tomar qualquer decisão.

… Em paralelo, o PMI/ISM de serviços dos EUA avançou a 54,3 em janeiro, de 50,5 em dezembro, bem acima da previsão de 52.

… Em reação ao dado e aos Fed boys, as apostas para manutenção do juro em março subiram a 85,5% no monitoramento do CME Group, contra 80% na véspera. E a chance de não haver mudança em maio subiu de 26,8% para 37,3%.

… Para o Wells Fargo, o subíndice de preços pagos por insumos no dado do ISM “roubou os holofotes” ao saltar de 56,7 para 64, maior aumento mensal desde agosto de 2012. O movimento, diz, põe em dúvida a narrativa de que a escalada da inflação já terminou.

… Outro PMI, medido pela S&P Global, também subiu: de 51,4 em dezembro para 52,5 em janeiro, mas abaixo dos 52,9 esperados.

… Beneficiado pelo pleno emprego nos Estados Unidos, os serviços têm sido uma preocupação do Fed por causa da inflação do setor. Um cenário que pode não arrefecer tão cedo, segundo analistas.

… Ontem, a Fitch mais que dobrou a previsão anual de crescimento do gasto real dos consumidores americanos, de +0,6% para +1,3%, em 2024, por causa do mercado de trabalho forte e a disposição das famílias em reduzir o excesso de poupança.

… Em meio à cautela geral, o juro da Note-10 anos, referência global, disparou 0,14pp, a 4,161%. O da note de 2 anos, mais atado à política monetária, subiu a 4,457% (de 4,3617%). No T-Bond de 30, o yield subiu a 4,342% (de 4,2214%).

… O reforço na expectativa de juro alto por mais tempo voltou a valorizar o dólar perante os pares e o índice DXY subiu 0,5%, a 104,452. O euro caiu 0,49%, a US$ 1,0744, e a libra cedeu 0,80%, a US$ 1,2539. O dólar subiu 0,24%, a 148,67 ienes.

… Nas bolsas, o PMI do ISM abalou os negócios num dia em que os investidores já estavam digerindo as opiniões dos Fed boys. O Dow Jones caiu 0,71% (38.378,86 pontos), o S&P500 recuou 0,32% (4.942,75), e o Nasdaq perdeu 0,20% (15.597,68).

… Apple (+0,98%), Alphabet (+0,91%) e Nvdia (+4,79%), com preço-alvo elevado pelo Goldman Sachs, diminuíram as perdas das bolsas.

SÓ NA EXPECTATIVA – De virada no meio da tarde, o Ibovespa (+0,32%, 127.593,49) se descolou de NY puxado pela alta em bloco dos bancos. A expectativa positiva dos resultados trimestrais do setor blindou os índices da disparada dos Treasuries.

… Itaú Unibanco, que divulgou balanço depois do pregão, subiu 1,89%, a R$ 33,36. Entre as maiores altas do Ibovespa, Bradesco PN avançou 2,02% (R$ 15,63). O papel ON subiu 1,98% (R$ 13,91). O banco divulga resultados na 5ªF.

… Santander unit, +1,11% (R$ 29,13), e Banco do Brasil, +1,07% (R$ 58,34). BTG subiu 0,85% (R$ 36,98) após o balanço que agradou.

… Ainda no ranking positivo, Weg liderou as altas, com +2,06% (R$ 33,26). JBS subiu 2% (R$ R$ 23,46), com a previsão do BofA de que a empresa apresentará resultados “sólidos” no 4Tri.

… No lado oposto, Soma, -6,74% (R$ 7,19) e Arezzo, -5,49% (R$ 59,35) caíram após apresentarem detalhes da fusão. Cogna (-6,34%; R$ 2,51) e Azul (-5,97%; R$ 12,91) completam o ranking das maiores perdas.

… Entre as blue chips, Vale cedeu 0,86% (R$ 65,51), seguindo a queda de 0,63% do minério de ferro em Dalian. Petrobras ON ficou estável em R$ 42,33, e PN subiu 0,44%, a R$ 41,21, impulsionada pelo petróleo.

… Driblando a alta do dólar, o Brent/abril subiu 0,85%, a US$ 77,99 por barril, e o WTI/março avançou 0,69%, a US$ 72,78.

TESTANDO OS R$ 5 – Em marcha de alta desde o início do ano (acumula 2,66% em 2024), o dólar deu mais um passo em direção aos R$ 5, ontem. Rompeu esse nível na máxima do dia (R$ 5,0181), mas voltou no fim da sessão, fechando a R$ 4,9818 (+0,27%).

… Até agora, a forte retirada de recursos da B3 por causa da reprecificação dos juros nos Estados Unidos pressionou o câmbio, mas ainda não coloca em xeque as estimativas de dólar a menos de R$ 5 neste ano.

… No último Focus, que vai ser atualizado hoje, a mediana é R$ 4,92, com expectativas que vêm caindo diante da avaliação de que fatores como o forte saldo comercial previsto para 2024 vão ajudar a valorizar o real.

… Na revisão de cenário divulgada ontem, o Itaú Unibanco elevou a projeção de superávit em 2024 de US$ 80 para US$ 85 bilhões e de 20925 de US$ 60 bilhões para 70 bilhões. O ajuste reflete um melhor desempenho nas exportações de petróleo.

… O banco manteve a previsão para o câmbio em R$ 4,90 ao fim deste ano. Os fundamentos externos são incertos, com o adiamento do corte de juro nos EUA, mas há atenuantes locais, como o saldo da balança.

… O fiscal continua no radar e é também um risco. O resultado primário deve ser negativo entre 0,8% e 1% do PIB em 2024, diz o banco.

… Já as contas externas de uma forma geral não devem preocupar e permanecer estáveis em 2024, segundo o Citi. Em 2023, o IDP (US$ 61,9 bilhões) continuou a cobrir com folga o déficit em transações correntes (US$ 29,3 bilhões), conforme divulgado pelo BC.

… Uma explicação para o dólar ter rompido os R$ 5 foi um movimento de zeragem de posições de fundos locais muito vendidos na moeda, disse Leonardo Monoli (Azimut Wealth) ao Broadcast, apontando a fala de Powell e o PMI/ISM como gatilhos.

… Nos juros, o mercado percorreu o mesmo caminho, de forte alta no início para fechar de lado depois.

… No fechamento, o DI para Jan25 caiu a 9,970% (de 9,978%). O DI Jan26 subiu a 9,710% (de 9,698%). O Jan27, a 9,870% (de 9,862%); o Jan29, a 10,305% (10,299%). O DI Jan31, a 10,540% (10,545%) e o Jan33, a 10,650% (de 10,644%)

EM TEMPO… Bradesco e Banco do Brasil, bancos controladores da CIELO, lançarão oferta para fechar o capital da companhia. Na operação, ainda dependente de uma série de aprovações, o preço por ação na oferta será de R$ 5,35…

… BB informou que sua participação na companhia poderá chegar a até 49,99% do capital, e o restante ficará com o Bradesco.

… Também ontem à noite, CIELO reportou lucro líquido recorrente de R$ 480,8 milhões no 4TRI23, uma queda de 1,9% sobre o 4TRI22…

… A empresa distribuirá R$ 410 milhões em JCP, ou R$0,1519 brutos por ação; ex em 18/3; pagamento em 30/4…

SANTANDER renovou por 18 meses programa de recompra de até 36,205 milhões de units, equivalente a 1% do total em circulação.

AZUL. Subsidiária Azul Secured Finance LLP precificou reabertura da oferta privada de títulos de dívida seniores com garantia prioritária e vencimento em 2028 de US$ 148,7 milhões de valor principal agregado e cupom de 11,930%…

… Preço de emissão da reabertura foi de 100,625% do valor principal dos novos títulos de dívida, com yield to maturity de 11,749%.

NATURA iniciou estudo para separar Natura Latam e Avon em companhias independentes, de capital aberto; separação da Avon visa simplificar estrutura e dar autonomia a unidade de negócios.

EMBRAER. Brandes Investment Partners elevou participação no capital social da companhia para 15,03%; em 1º/2, gestora informou que havia reduzido a sua posição na empresa para 14,86%.

UNIPAR confirmou que Rodrigo Cannaval substituirá Maurício Russomano na presidência a partir de abril.

FENABRAVE. Vendas de veículos cresceram 13,2% em janeiro, ante janeiro/23. Na margem, houve queda de 35%, considerada normal no início do ano. Para este ano, a previsão é de crescimento de 12% das vendas de veículos zero quilômetro.

AOS ASSINANTES DO BDM, BOM DIA E BONS NEGÓCIOS!

*com a colaboração da equipe do BDM Online

AVISO – Bom Dia Mercado, produzido pela Mídia Briefing, não pode ser copiado e/ou redistribuído.

Veja Também