Sem categoria

Semana começa cautelosa, diante de risco fiscal nos EUA e no Brasil

Atualizado 13/11/2023 às 18:55:47

[13/11/23] Da Redação do Bom Dia Mercado

Os mercados não registraram grandes oscilações aqui e nos Estados Unidos nesta segunda-feira, com investidores preferindo manter a cautela diante de uma sessão esvaziada de notícias, mas no começo de uma semana que promete fortes emoções.

Lá fora, o mercado iniciou o dia sob o efeito do alerta dado pela Moody’s no fim da tarde de sexta-feira. A agência de classificação de risco alterou a perspectiva do rating “Aaa” dos Estados Unidos, de estável para negativa, por causa da piora do risco fiscal do país.

A Câmara americana tem até a próxima sexta-feira para aprovar uma nova proposta que garanta, ainda que temporariamente, o financiamento do governo federal para evitar o chamado “shutdown”, que seria a paralisação das atividades do governo.

Ainda nos Estados Unidos, o mercado aguarda a divulgação, nesta terça-feira, do dado de inflação ao consumidor (CPI) de outubro. Um número dentro das expectativas ou mais fraco, e que indique que a inflação está convergindo para a meta anual de 2%, pode reforçar as expectativas de que o Fed, o banco central americano, encerre o atual ciclo de aperto monetário sem realizar uma alta final dos juros.

Por aqui, cautela também foi a palavra de ordem nas mesas de operações, com investidores à espera de uma definição sobre a meta fiscal para 2024. O presidente do Congresso, Rodrigo Pacheco, deu mais um dia de prazo, até sexta-feira, para que os parlamentares governistas apresentem uma emenda à LDO com uma possível mudança da meta.

No final da tarde, o deputado Lindbergh Farias (PT-RJ) apresentou duas emendas que alteram a meta de resultado primário para um déficit de 0,75% ou até 1% do PIB, abandonando o plano de déficit zero proposto pelo ministro da Fazenda, Fernando Haddad.

O mercado também monitora a definição de um cronograma na Câmara para a tramitação da reforma tributária, após aprovação pelo Senado na semana passada.

O dólar à vista fechou em baixa de 0,14%, a R$ 4,9078. O Ibovespa caiu 0,13%, para R$ 120.410,17 pontos, com volume de R$ 19,0 bilhões.

Em Nova York, O índice Dow Jones subiu 0,16%, aos 34.337,87 pontos. O S&P500 recuou 0,08%, aos 4.411,55 pontos. O Nasdaq perdeu 0,22%, aos 13.767,74 pontos. (Téo Takar)

Compartilhe:


Veja mais sobre:


Veja Também