Ásia

Chinesas sobem com estímulos e dados, mas Ásia fecha mista; minério avança 2,41%

Atualizado 11/09/2023 às 07:11:44

Na sessão asiática, que não teve direção única, o destaque foram as altas na China continental, que reagiram a novos estímulos e dados sugerindo estabilização da economia.

A inflação chinesa ao consumidor em agosto, divulgada na sexta à noite, voltou a subir, após a deflação de julho, e no domingo o regulador de mercado afrouxou regras para as seguradoras investirem em ações. Hoje saíram as vendas de veículos no mês passado (+8,4% na base anual, ante recuo de 1,4% em julho), e a concessão de empréstimos pelos bancos no mesmo período (US$ 185,20 bilhões) veio acima da projeção.

Os resultados limitaram as perdas de Hong Kong, às voltas com preocupações com o setor imobiliário; o minério de ferro em Dalian subiu 2,41%. A semana terá nova bateria de dados chineses.

Tóquio fechou em baixa após o presidente do BoJ sugerir que o fim dos juros negativos está no radar, impulsionando o iene contra o dólar. Confira o fechamento dos índices:
(Lucia Boldrini + agências)

▪️ Tóquio — Nikkei: -0,43%
▪️ Hong Kong — Hang Seng: -0,58%
▪️ Taiwan — Taiex: -0,86%
▪️ Coreia — Kospi: +0,36%
▪️ China — Xangai: +0,84%
▪️ China — Shenzhen: +0,90%

...

Veja Também